A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

29/08/2013 16:14

Adalberto diz que Neorad “acabou” com fila por tratamento na radioterapia

Edivaldo Bitencourt e Bruno Chaves
Siufi presta depoimento na CPI da Assembleia Legislativa e defende Neorad (Foto: Bruno Chaves)Siufi presta depoimento na CPI da Assembleia Legislativa e defende Neorad (Foto: Bruno Chaves)

O médico Adalberto Siufi defendeu a Neorad, sua clínica particular, em depoimento à CPI da Saúde da Assembleia Legislativa, na tarde desta quinta-feira (29). Ele disse que graças ao convênio firmado com a empresa, em setembro de 2007, zerou a fila pelo tratamento de radioterapia em Campo Grande.

Conforme a Operação Sangue Frio, da Polícia Federal, o médico manipulou a rede de tratamento na Capital para beneficiar a Neorad, que cobrava valores até 70% acima da tabela do SUS (Sistema Único de Saúde).

Ele contou, na CPI, que a Neorad foi construída com recursos obtidos pelo FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste). No entanto, não informou o montante liberado pelo Governo federal.

A clínica foi construída para atender convênios e particulares. No entanto, em 14 de setembro de 2007, após aval do Conselho Estadual de Saúde, a prefeitura contratou a Neorad para atender pelo SUS.

Na época, a fila de pacientes com câncer aguardando tratamento era imensa. No entanto, Adalberto não informou quantas pessoas esperavam pelo tratamento na época. Ele contou que zerou a fila.

Em 31 de março de 2010, a prefeitura alegou irregularidades no convênio e rescindiu o contrato. Em 17 de novembro de 2010, o município voltou a firmar novo convênio com a Neorad. Na ocasião, 210 pacientes estavam na fila por tratamento.
Ele disse que, atualmente, a Neorad presta serviço apenas a Santa Casa de Campo Grande. O hospital já anunciou o rompimento com a empresa de Siufi, mas a rescisão depende da instalação dos equipamentos e da aprovação da Agência Nacional de Energia Nuclear. O processo deve levar, no mínimo, três anos.

Adalberto Siufi diz que filha fez patrimônio de hospital valer R$ 40 milhões
O médico Adalberto Siufi, em depoimento na tarde de hoje na CPI da Saúde da Assembleia Legislativa, defendeu a contratação dos familiares pelo Hospit...
Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...


Isso e verdade, pelo menos se vc precisava de radioterapia não esperava meses ou anos pelo tratamento quando administrado pelo SUS. Tive câncer e esperaria 6 meses por uma cirurgia em Barretos, fui ao hospital do câncer aqui e me operaram na mesma semana. Fui muito bem atendida pela equipe e hoje estou curada.
 
Flavia Matsuda em 29/08/2013 20:16:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions