A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

29/03/2013 10:00

TJMS nega liminar e mulher que matou marido permanece na cadeia

Nadyenka Castro
Maria Rangel confessou que matou o marido. (Foto: Vanderlei Aparecido)Maria Rangel confessou que matou o marido. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Presa desde o dia 4 de março por matar o marido a tiro, Maria Rangel dos Santos, 46 anos, teve negada a liminar do pedido de habeas corpus. Com isso, ela permanece na cadeia.

Maria Rangel é assassina confessa do marido, o policial militar aposentado Gumercindo Rosa do Nascimento, 74 anos. O crime aconteceu no dia 28 de fevereiro deste ano, na residência onde o casal morava, no bairro Amambaí, em Campo Grande.

Ela já teve negado o pedido de revogação da prisão preventiva e, na última quarta-feira, o desembargador Romero Osme Dias Lopes, da 2ª Câmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), não concedeu liminar.

Agora, o pedido de habeas corpus será analisado pela Procuradoria de Justiça, para parecer, e depois pelos demais desembargadores da 2ª Câmara Criminal.

Crime - Em depoimento à Polícia Civil, Maria Rangel contou que o marido queria ter relação sexual com ela à força e também a agrediu com barra de ferro. Ao Campo Grande News, disse que ela e Gumercindo chegavam em casa de carro e ele a mandou abrir a perna com a intenção de molestá-la. “Moça, eu não sei nem como te contar isso, você coloca aí do jeito que achar melhor”, falou a mulher ao começar a contar o que o marido queria.

Segundo Maria Rangel, como não queria atender ao pedido do marido, ela desceu do carro e entrou na residência. Gumercindo pegou uma barra de ferro que era utilizada para trancar o portão e bateu na barriga dela.

Diante disso, conforme Maria Rangel, ela entrou no quarto onde ficava o cofre – que não era trancado - e pegou a arma. Quando ele entrou no cômodo, ela atirou e fugiu e ele morreu no local. O casal estava junto há um ano e 11 meses.



Ah ! Comecei a entender a "justiça"... Sempre que a sociedade achar que uma pessoa merece ficar presa, a "justiça" solta ! E sempre que a sociedade achar que uma pessoa merece ser solta, a "justiça" mantém presa ! Enquanto maniacos da cruz, e bandidos de alta periculosidade estão a solta, uma mulher que deveria ser proregida pela lei "Maria da Penha" está nessa situação.
 
Marcos Figueiredo em 29/03/2013 11:45:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions