A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

20/03/2013 12:10

Após operação da Polícia Federal, diretor do HU é afastado por 60 dias

Aline dos Santos
José Carlos Dorsa foi afastado pela Justiça. (Foto: Simão Nogueira)José Carlos Dorsa foi afastado pela Justiça. (Foto: Simão Nogueira)

A Justiça Federal afastou por 60 dias o diretor geral do HU (Hospital Universitário) de Campo Grande, José Carlos Dorsa Veira Pontes. Ontem, o hospital foi alvo da operação Sangue Frio, que investiga denúncias de contratos suspeitos, superfaturamento, corrupção e formação de quadrilha.

Hoje, a portaria 264 - assinada pela reitora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Célia Maria Correa Oliveira – oficializou o afastamento por força de decisão judicial. A mesma ordem levou ao afastamento, também por 60 dias, de Alceu Edison Torres. Ele é gestor de contrato com os terceirizados.

No caso de Alceu, a reitora o colocou à disposição da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho. A Justiça também afastou dois servidores terceirizados, que ocupavam cargo de confiança. Os nomes não foram divulgados. 

Ontem, o Campo Grande News entrou em contato com José Carlos Dorsa, mas ele relatou que estava fora de Campo Grande e não quis comentar a operação. O CRM/MS (Conselho Regional de Medicina) vai abrir processo disciplinar para investigar a conduta dos médicos.

Na operação da PF (Polícia Federal), também foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do médico Adalberto Abrão Siufi, diretor-geral do Hospital do Câncer e ex-diretor do setor de oncologia do HU. Ele chegou a ser preso por porte ilegal de arma. Mas foi liberado após pagar fiança de R$ 30 mil.

No Hospital Universitário, são investigados fraudes em licitações, corrupção passiva, desvio de dinheiro público e superfaturamento em obras. Já o Hospital do Câncer é suspeito de servir como fachada para desvio de dinheiro público. A unidade oferece tanto atendimento privado quanto pelo SUS(Sistema Único de Saúde) e é administrada pela Fundação Carmem Prudente.



Isso sim é motivo da câmara, da população ficarem preocupados; Fraudes, superfaturamentos no SUS, Formação de quadrilhas com relação à saúde, segurança pública e tantos outros absurdos existentes em nossa cidade. Se fizessem isso (prestarem atenção e cobrar justiça e honestidade sobre os nossos direitos), dessa forma o Bernal teria tempo para conseguir trabalhar em paz!
Estamos cansados dessas picuinhas desses “representantes desocupados” fazendo o que querem na política, deixando o que realmente interessa na sociedade virar caos!
 
Welington Silva em 20/03/2013 14:54:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions