A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/03/2011 08:20

Campo Grande decreta situação de emergência devido à chuva

Aline Queiroz e Aline dos Santos

Decreto pontua áreas mais afetadas: Bairro Nova Lima, Laranjais, além da Avenida Ernesto Geisel

Avenida Ernesto Geisel foi um dos pontos mais afetados.Avenida Ernesto Geisel foi um dos pontos mais afetados.

Devido às constantes chuvas, o município de Campo Grande decretou situação de emergência. O índice pluviométrico registrado de 26 de fevereiro a 8 de março foi de 372,4 milímetros.

O decreto, publicado hoje no Diário Oficial, pontua os locais mais atingidos na área urbana: Bairro Nova Lima, Parque dos Laranjais, Avenida Ernesto Geisel.

Já na área rural, houve estragos em cinco estradas, além da vicinal Rochedinho.

O decreto destaca que a situação de anormalidade é válida apenas para as áreas comprovadamente afetadas pelas enchentes ou inundações, conforme prova documental estabelecida pelo “Formulário de Avaliação de Danos” e mapa das áreas.

Com base no decreto, o município está em situação de emergência a partir de hoje e tem validade de 90 dias.

As chuvas iniciadas em 26 de fevereiro causaram transtornos e prejuízos ao município e à população.

No Bairro Nova Lima, um dos mais atingidos, uma cratera se formou e ameaça casas. Problema semelhante é observado no Parque dos Laranjais.

Segundo Trad, prefeitura ainda calcula valor dos estragos causados pela chuva. (Foto: Simão Nogueira)Segundo Trad, prefeitura ainda calcula valor dos estragos causados pela chuva. (Foto: Simão Nogueira)

Já na Avenida Ernesto Geisel, a margem do Rio Ananhanduí foi levada pela água e a via teve de ser parcialmente interditada. A situação ficou complicada desde a obra do Córrego Segredo à Avenida Salgado Filho.

Na zona rural pontes foram levadas pela enxurrada e algumas estradas estão intransitáveis.

Moradores dos Bairros Santo Antônio, Jardim Imá, Santa Emília, Santo Eugênio e Buriti foram bastante castigados pela chuva.

Casas foram invadidas pela água e muitos perderam todos os móveis.

Valor - O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), afirmou em entrevista esta manhã que o valor para reparar os estragos não foi fechado, porém, antecipa que será algo em torno de R$ 45 milhões.

"Não está fechado. Estou fazendo todo o levantamento", destacou.

Até o momento, cinco municípios já anunciaram decretos de emergência no Estado. Além de Campo Grande, também estão nessa condição as cidades de Coxim, Anastácio, Aquidauana e Paranaíba.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions