A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

08/05/2013 08:22

Campo-grandenses falam de caos e correria após início do fogo em loja

Gabriel Neris
Bombeiros tiveram dificuldades para apagar incêndio na Planeta Real, no Centro (Fotos: João Garrigó)Bombeiros tiveram dificuldades para apagar incêndio na Planeta Real, no Centro (Fotos: João Garrigó)
Curiosos aproveitaram para registrar incêndio em máquinas fotográficas e aparelhos celulares Curiosos aproveitaram para registrar incêndio em máquinas fotográficas e aparelhos celulares

Três e meia da tarde de terça-feira (7), Centro. O fluxo do trânsito na Afonso Pena é intenso entre os veículos, mas se torna intrafegável. A principal avenida de Campo Grande é tomada por gritos de histeria, os curiosos se somam nas ruas e calçadas para acompanhar de perto o incêndio na loja da Planeta Real.

O Corpo de Bombeiros é acionado e chega precisando de reforço. Defesa Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e helicóptero somados para combater as chamas que tomaram conta da loja. O caos estava instalado.

O Centro de Campo Grande parou para acompanhar o incêndio durante a tarde de início de semana.

Nas ruas e calçadas a multidão se aglomerava para assistir a luta dos bombeiros, mas também aproveitava para guardar no celular o registro da fumaça que deixava o prédio do Planeta Real e das Casas Bahia. Era possível ver o incêndio de gigantescas proporções de qualquer canto da cidade.

A primeira medida tomada pela Enersul, também chamada para o incêndio, foi desligar a energia na quadra.

Na loja de celulares da Tim, localizada no cruzamento da Afonso Pena com a rua 14 de Julho, três clientes eram atendidos quando foram surpreendidos. “Houve gritaria. Fui lá saber o que estava acontecendo, no salão de cabeleireiro um exaustor ficou em labaredas”, conta o funcionário da loja Douglas Santos, de 23 anos.

Guardas municipais tentavam isolar a área, com a ajuda da Polícia Militar, por vezes até truculenta. “Não vi nada igual isso aqui”, diz Douglas.

Marcel Sérgio Fernandes, de 45 anos, proprietário de uma lanchonete ao lado da Casas Bahia, conta que havia uma funcionária da Planeta Real desesperada à procura de um extintor de incêndio. “Aí nós vimos o tamanho da gravidade”, comenta.

Multidão se aglomera na avenida Afonso PenaMultidão se aglomera na avenida Afonso Pena
Fumaça era vista de longe por motoristas no CentroFumaça era vista de longe por motoristas no Centro

A loja de salgados vendia bem, mas o incêndio obrigou os comerciantes a fecharem as portas.

“Hoje era um dos melhores dias, recorde de venda. Tinha passado 30% da venda normal do dia”, calcula Edson Santana, de 45 anos, sócio de Marcel. “Se pensar em faturamento é tarde perdida, no entanto ganhamos nós que não fomos atingidos”, completa.

O primeiro caminhão dos bombeiros que chegou a frente ao Planeta Real não tinha água. Foi preciso ajuda de outros caminhões-pipas.

“Os bombeiros foram heróis, apagaram o fogo na mão. Olha o tanto de caminhões para ajudar. Merecem o mérito, que isso sirva de lição. Nesse momento o que a gente vê a precariedade da Capital”, cobra Marcel.

O incêndio desta terça-feira estará na memória de comerciantes e de aparelhos móveis da população.



O povo não tem o que fazer! Em Campo Grande tanto a polícia de trânsito como o Corpo de Bombeiros ou não estão bem equipados ou não estão preparados para calamidades.
Mas não é só aqui, o resto do País também carece de infraestrutura devido ao sucateamento promovido pelo governo federal.
 
Paulenir de Barros em 08/05/2013 17:07:20
tanto dinheiro desviado, tanta corrupçao o corpo de bombeiros está falido caminhoes da decacada de 40 que vergonha sem estrutura nehuma , a mangueira sem pressao tem parecia mangueira de residencia. voce já imaginou se pega fogo em algum predio vai morrer todo mundo estes equipamentos de cidade de interior. Brasil é o pais das gambiarras.
 
paulo macia em 08/05/2013 11:10:38
Vi o tanto de gente inconseguente, querendo ver de camarote o ocorrido, não tendo a mínima noção do quanto estavam se expondo aquela fumaça, podendo prejudicar a própria saúde e atrapalhando o trabalho dos bombeiros.
 
Aline Silva em 08/05/2013 11:08:06
Se cobrasse ingresso para entrar e ver o show do incendio, dava para construir uma loja novinha de tantos curiosos que tinham lá.
 
jose carlos em 08/05/2013 09:41:43
O que se vê e foi notado e a falta de preparo e de um plano de emergência em casos como esse em campo grande, limpar o transito para o fluxo dos carros de socorro isolamento da área aonde se encontra o sinistro e mais importante o corpo de bombeiros não tem estrutura física pra combater grandes incêndios, vai morrer pessoas inocentes em campo grande pra autoridades tomarem providencia????, acho que sim..... se fosse a noite queimaria o quarteirão inteiro....... se fosse um prédio não tem equipamentos escadas e outros queima o prédio inteiro ...........
 
joao m de souza em 08/05/2013 09:01:49
O povo em vez de ajudar acaba atrapalhando....o que que pessoas quer com foto de uma loja pegando fogo ......fala serio .......curiosidade matou o gato......
 
rogerio carvalho em 08/05/2013 08:53:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions