A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/12/2013 11:57

Carcaças de carros nas ruas ainda é problema no "bairro de ferros-velho"

Filipe Prado
restos de carros são colocados nas ruas do bairro Guanandi (Foto: Marcos Ermínio)"restos" de carros são colocados nas ruas do bairro Guanandi (Foto: Marcos Ermínio)

Com um grande número de ferros-velhos, moradores do Bairro Guanandi se preocupam com os prejuízos causados pelas carcaças colocadas nas ruas da região. Eles dizem que os veículos atrapalham o trânsito, viram focos de dengue e servem como “pousadas” para moradores de rua.

A região já é conhecida como “bairro dos ferros-velhos”. Os moradores reclamam da grande quantidade de carcaças jogadas nas ruas. Rafael Uzun de Oliveira, 20 anos, acha a situação prejudicial. “São muitos carros, destroços, peças, tudo jogado na rua. Vidros despedaçados ficam nas ruas, já furei o pneu da minha moto por conta disso”.

Os moradores acham que a situação do bairro deveria mudar. “Eu acho péssimo isso, além de deixar o bairro feio, atrapalha o trânsito. Eu acho que isso tem que acabar”, comenta Maria Guilhermina Astun Shimabukuro, 66.

Os veículos acabam sendo “abandonados” pelos donos dos ferros-velhos na rua, durante um bom tempo. “Eles costumam deixar o carro muito tempo na rua, assim os destroços acabam prejudicando os moradores”, relata Rafael.

Maria ainda comenta que não é só o trânsito, que as carcaças prejudicam. “O problema também é a dengue, acabam virando focos”, explica Maria Guilhermina.

Rafael conta que muitos moradores de rua acabam dormindo dentro das carcaças dos veículos. “Os dependentes químicos e moradores de rua ficam por aqui e acabam dormindo dentro dos carros”, relata.

Para uma moradora do bairro, que não quis se identificar, o número de moradores de rua vem aumentando na região. “Os moradores de rua dormem nas carcaças, então acaba aumentando o número deles aqui no bairro, e isso não é bom. Cada vez mais piora”.

Alguns ainda dizem que a prefeitura precisa tomar alguma providência em relação aos ferros-velhos. “Acho tudo isso muito ruim, creio que não pode acontecer. E a prefeitura não toma conta da situação”, relata Fátima Pecurari, 55.

Os carros viram pousada para moradores de rua (Foto: Marcos Ermínio)Os carros viram "pousada" para moradores de rua (Foto: Marcos Ermínio)
Os moradores reclamam que os veículos atrapalham no trânsito (Foto: Marcos Ermínio)Os moradores reclamam que os veículos atrapalham no trânsito (Foto: Marcos Ermínio)
De família de escritores, médico lança amanhã livro com poemas
O renomado psiquiatra Marcos Estevão lança nesta quinta-feira (14) em Campo Grande o livro de poesias "Pedaços de Mim", que é um compilado de poemas....
Renegociação de dívidas com a Águas Guariroba pode ser feita até o dia 29
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


os donos desses ferro velho, deveriam ampliar seus estabelecimento,guardar tudo dentro e a policia(defurv) dar fazer uma visita, verificar notas, procedencia.
 
silva souza em 08/12/2013 17:59:08
Cadê o poder publico que não toma providência para esta situação, são décadas assim... a população fica refém desses "empresários".
 
Rafael Pereira em 08/12/2013 09:00:38
Não começou no tempo do Bernal, mas ele pode acabar com esse problema. Deixa o homem do guincho trabalhar. Recolhe tudo lá para o pátio do Detran ou para o pátio de uma recicladora de metais. Acho que tem uma lá perto da saída para Sidrolândia. Com certeza a empresa iria gostar. (custo zero).
 
ORLANDO SANTOS em 08/12/2013 06:41:32
Não só nas carcaças de veículos que os moradores de rua e dependentes químicos ficam, mas também nas construções abandonadas no Guanandi.
 
divino ribeiro em 07/12/2013 18:52:46
Passei pelo local ontem, e realmente é muito feio o visual do bairro. A desvalorização do local é certa, pois ninguém iria querer morar perto de uma geringonça dessas. Culpado: é o poder público, que não faz valer as leis existentes. Vitima: toda a sociedade, que em um momento propício ao desenvolvimento do mosquito transmissor da dengue, vê verdadeiros criames ao lado de suas casas, sem que o poder público tome uma providência.
 
Valter Oliveira em 07/12/2013 17:32:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions