ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Com pandemia e saúde mental em risco, Caps teve 57 mil atendimentos a menos

Atendimento ambulatorial chegou a parar de funcionar, depois foi retomado com 30% da capacidade reduzida

Por Caroline Maldonado | 20/06/2021 10:09
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande já chegou a ter 6 mil pessoas na fila por uma simples consulta com psiquiatra, na rede pública. A 32ª Promotoria de Justiça passou a investigar a situação e a Prefeitura adotou novas estratégias para fazer a fila andar em 2019, mas aí veio a pandemia de covid-19.

Em 2020, foram 57,3 mil atendimentos a menos nos seis Centros de Atenção Psicossocial (Caps), em comparação com 2019. O número de atendimentos caiu de 357.624 em 2019 para 300.289, no ano passado, o que representa redução de 16%.

O atendimento ambulatorial chegou a parar de funcionar, depois foi retomado com 30% da capacidade reduzida e voltou ao normal no fim do ano passado. Quando o atendimento presencial parou, foram feitos atendimentos somente via vídeo chamadas e contatos telefônicos, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Apesar da Prefeitura ter informado, por meio da assessoria, que os atendimentos já voltaram ao normal desde o fim do ano passado, um paciente reclamou em abril deste ano que suas consultas com psicólogo ainda estavam suspensas, na unidade do bairro Vila Almeida. O caso foi noticiado pelo Campo Grande News, que recebeu a reclamação do paciente de 32 anos, com transtorno esquizoafetivo misto, pelo canal Direto das Ruas.

Há quatro meses, sendo atendida no Caps, a recepcionista Geisiane Barros, 26 anos, conta que conseguiu atendimento rapidamente, porque estava em crise. “Foi rápido para eu conseguir atendimento porque me passaram na frente por conta da crise, mas se fosse esperar poderia demorar mais de um ano para conseguir”, diz a paciente.

Para Geisiane, o atendimento é bom e os profissionais são bem capacitados, mas questões de horários dificultam. “Eu estou sem consultar porque o médico só pode me atender no horário em que estou trabalhando. Então, eu só pego a receita, mas o certo era eu consultar. Poderiam dar um jeito do médico esperar eu passar la após o trabalho”, relata.

Locais - Clique aqui para ver os endereços dos Caps, que tem atendimento 24 horas,em Campo Grande. Quem tem sintomas graves também pode procurar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou Unidade Básica de Saúde (UBS).

O CEM atende de segunda a sexta, das 7h as 22h somente para encaminhados pelas UBSs ou UPAs, mas tem um ambulatório de prevenção ao suicídio, que atende qualquer pessoa que esteja com pensamentos suicidas.

As clínicas escolas das universidades também oferecem atendimento gratuito na área de Psicologia.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário