A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2019

07/01/2019 16:08

De mutirão cívico a secretário suando na obra, lembre promessas do Aquário

Declarações também incluem "loucura", "elefante branco" e a "grife Pantanal"

Aline dos Santos
Aquário do Pantanal nasceu com previsão de gasto de R$ 84 milhões. (Foto: Paulo Francis)Aquário do Pantanal nasceu com previsão de gasto de R$ 84 milhões. (Foto: Paulo Francis)

Não só de vultosos gastos de dinheiro público se faz um Aquário do Pantanal. Desde 2011, início da obra, sobejam frases de efeito, o que faz do elíptico empreendimento, nos altos da avenida Afonso Pena, terreno fértil de muito blá-blá-blá.

As declarações incluem de secretário de obras prometendo que até o governador trabalharia no local para a conclusão em 2018 à expressão de que a sublocação da obra tratou-se de um “mutirão cívico”.

Com a obra de R$ 84 milhões iniciada em 2011, o ano de 2014, último da gestão Puccinelli, teve uma reviravolta: sai Egelte e entra Proteco.

“O centro de pesquisa vai atrair estudiosos de vários países diferentes. Quero fazer a inauguração até 11 de outubro. Estamos fazendo um mutirão cívico”, afirmou Puccinelli. Na ocasião, o Estado completaria aniversário de 37 anos.

Contudo, no mês de fevereiro de 2014, gravações da operação Lama Asfáltica, da PF (Polícia Federal), narra uma disputa interna, vencida pela Proteco, que assumiu a obra por meio de sublocação, com direito ao valor máximo de aditivo: R$ 21 milhões.

No fim daquele ano,Puccinelli se despediu do governo exaltando seu projeto, mesmo diante de ataques sobre sua utilidade. Segundo ele, em uma pesquisa sobre o que os campo-grandenses queriam na cidade, o Aquário do Pantanal ganhou com pequena margem sobre o campus da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul).

“Vocês vão ver as universidades que virão aqui. Vamos nos apropriar da grife pantanal, vai ser do Mato Grosso do Sul. Ao longo do tempo, com o reflexo condicionado, a memorização. O Estado do Mato Grosso do Sul é o Estado do Pantanal. Depois que o mundo souber que o maior aquário de água doce do mundo está aqui, vai ter gente como enxurrada”.

 

Permanentemente fechado: Aquário é construído desde 2011. (Foto: Paulo Francis)Permanentemente fechado: Aquário é construído desde 2011. (Foto: Paulo Francis)

Secretário-operário

“Eu posso dizer que nós vamos terminar o Aquário do Pantanal até 2018, de que forma ainda não sabemos, mas vamos terminar essa obra. Nem que tenha que eu e o governador ir lá trabalhar na obra, com certeza vamos terminar”

A declaração de Ednei Marcelo Miglioli, então secretário estadual de Infraestrutura, data de primeiro de fevereiro de 2017. O ano de 2017 terminou com nova promessa de conclusão em 2018.

"Gastar R$ 250 milhões é um absurdo, sendo que o Estado tem prioridades muito maiores. Mas se a loucura foi iniciada, tem de terminar. Mesmo sendo contrário à sua execução, é uma obra que usou dinheiro público, precisa ser concluída", afirmou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em 13 de dezembro de 2017.

O ano passado começou com a construção de um grande acordo entre governo do Estado, TCE (Tribunal de Contas do Estado) e MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). O objetivo era que o TJ/MS (Tribunal de Justiça) autorizasse contratação direta com duas empresas, ao custo de R$ 38,7 milhões.

 

Elefante branco

O pedido da dispensa de licitação teve parecer favorável do procurador Edgar Roberto Lemos de Miranda, que destacou a importância do Aquário do Pantanal.

“Esta obra tem como mote a identificação da cidade de Campo Grande, por exemplo há a Torre em Paris, o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, o Arco de Saint Louis, no Estado do Missouri, dos Estados Unidos, ou seja, aqui um Aquário único, de água doce, o maior já existente hoje no mundo, com fins científicos, bem como com a finalidade de dinamizar o turismo na Capital”.

De maior aquário de água doce do mundo, a obra se tornou mais conhecida pela expressão “elefante branco”. Curiosamente, o local, destinado a 260 espécies de peixes, tem um elefante cinza, que integra a cenografia de onde seria o tanque alusivo à África.

Empreendimento complexo, o Aquário deveria custar R$ 84 milhões, mas a cifra deve alcançar R$ 230 milhões. O valor para conclusão da obra ainda é calculado pela Seinfra, que vai lançar licitação neste mês. No quesito detalhes, sobram peculiaridades: o acrílico da estrutura, por exemplo, veio dos Estados Unidos.

No tanque alusivo à África, elefante é cinza, mas obra leva o apelido de elefante branco. (Foto: Paulo Francis) No tanque alusivo à África, elefante é cinza, mas obra leva o apelido de elefante branco. (Foto: Paulo Francis)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions