ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Doze mil cirurgias serão feitas dentro de sete carretas a partir de terça-feira

As retiradas de catarata serão realizadas por meio da Caravana da Saúde, no Pavilhão Albano Franco

Por Alberto Dias | 07/05/2016 17:25
Carretas da Caravana da Saúde chegando em Campo Grande na quinta-feira (5). (Foto: Fernando Antunes)
Carretas da Caravana da Saúde chegando em Campo Grande na quinta-feira (5). (Foto: Fernando Antunes)

Pacientes que não enxergam direito por problema de catarata serão operados a partir de terça-feira (10) no Pavilhão Albano Franco, por meio da Caravana da Saúde. Neste sábado (7), as sete carretas que abrigarão os atendimentos oftalmológicos recebiam os equipamentos e materiais que darão suporte aos exames e cirurgias.

No local, o médico Marcelo Henrique Mello, que coordena os trabalhos, explicou que serão realizadas, em média, 600 cirurgias por dia. Segundo ele, os procedimentos duram quatro minutos, "tempo suficiente para que uma pessoa saia enxergando tudo novamente". Após a cirurgia, os pacientes receberão, gratuitamente, óculos e colírio para o tratamento.

Como participar - Pessoas com 55 anos ou mais podem ir direto ao Pavilhão Albano Franco a partir da próxima terça-feira, sem agendamento prévio. Lá passarão por consulta e poderão realizar a cirurugia no mesmo dia, caso haja vaga entre as 600 disponíveis. Do contrário, retornarão ao local em nova data previamente agendada para realizar os procedimentos, que seguem até o dia 29 de maio.

Para quem tem menos de 55 anos e já sofre com este problema, é necessário ir a uma unidade de saúde do município para realizar o agendamento.

Outras especialidades - A partir do dia 14 (sexta-feira), a 11ª edição da Caravana da Saúde será aberta oficialmente ao público, ofertando atendimento em 11 especialidades médicas. Conforme a organização, a expectativa é atender 100 mil pessoas da Capital e de outros 16 municípios da região, em 12,6 mil consultas, 11 mil exames e 4 mil cirurgias. 
"Com isso esperamos zerar a fila de espera de pacientes em diversas especialidades, agilizar e melhorar a qualidade do atendimento", explicou Mello.