A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

05/09/2019 17:08

Em nota, empresa reforça que piloto é culpado por acidente com Luciano Huck

Investigação criminal ainda não responsabilizou ninguém

Tainá Jara
Acidente aéreo aconteceu em maio de 2015 (Foto: Arquivo/Fernando Antunes)Acidente aéreo aconteceu em maio de 2015 (Foto: Arquivo/Fernando Antunes)

Responsável por transportar a família do apresentador Luciano Huck, em 24 de maio de 2015, a empresa MS Táxi Aéreo reforça a responsabilidade do piloto Osmar Frattini pelo acidente ocorrido na ocasião. Conforme a empresa, laudos periciais apontam que “o pouso forçado da aeronave se deu por sucessivos erros do piloto”.

Em nota, afirma que a autoria será comprovada no curso das investigações e critica a "persistente divulgação dos fatos investigados pelo Polícia Civil", já que foi decretado sigilo no trâmite dos autos. Segundo a MS Táxi Aéreo, a Polícia expõe “reiteradamente questões inconclusas e, portanto, precipitadas... prejudicando indevidamente a imagem da empresa”.

A empresa garantiu ainda que, ao final das apurações, tornará pública “toda a verdade referente ao incidente e tomará as providências cabíveis”.

Reportagem publicada nesta quarta-feira, pelo Campo Grande News, apontou que mais de quatro anos depois, a investigação criminal ainda não responsabilizou ninguém e ainda aguarda o resultado de laudo pericial para decidir se fará, ou não, reprodução simulada do incidente.

Conforme a responsável pelas investigações, delegada Ana Cláudia Medina, o piloto será ouvido novamente. Relatório do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) da FAB (Força Aérea Brasileira), apontou que ele teve conduta considerada imprudente. Pelo relatório, de abril de 2017, ele não teria feito as checagens necessárias antes de voar.

Além dos piloto, estavam na aeronave na ocasião do acidente, o casal global Luciano Huck e Angélica, os três filhos, Benício, Eva e Joaquim, e ainda a babá das crianças. O avião no qual a família vinha do Pantanal para Campo Grande fez pouso forçado em Rochedo, depois de, aparentemente, ficar sem combustível no ar.

Veja a nota da MS Táxi Aéreo na íntegra:

Sobre as recentes versões veiculadas em diversos meios de comunicação sobre o pouso
forçado da aeronave de matrícula PT-ENM no dia 24 de maio de 2015, a empresa MS
TÁXI AÉREO vem a público esclarecer que:

1) diferentemente do que afirmado pelo piloto Osmar Frattini, a empresa proprietária
da aeronave não encerrou suas atividades comerciais. Pelo contrário, continua
desempenhando regularmente suas atividades, com todas as licenças expedidas pelas
autoridades públicas, obedecendo todos os protocolos de segurança de
aeronavegabilidade;

2) sobre os motivos do acidente, a empresa MS TÁXI AÉREO ratifica, com base em laudos
periciais, que o pouso forçado da aeronave se deu por sucessivos erros do piloto, o que
será comprovado no curso das investigações, cobrando-se, para isso, os direitos ao
contraditório e a ampla defesa na produção das provas;

3) por fim, a empresa MS TÁXI AÉREO lamenta a persistente divulgação de fatos sob
investigação pela Polícia Civil, embora ela própria tenha decretado sigilo no trâmite dos
autos, expondo reiteradamente questões inconclusas e, portanto, precipitadas; e, com
isso, prejudicando indevidamente a imagem da empresa;

4) ao final das apurações, a empresa MS TAXI AÉREO tornará pública toda a verdade
referente ao incidente e tomará as providências cabíveis.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions