A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/01/2013 17:21

Escola pública abandonada vira ameaça de dengue para moradores

Mariana Lopes
Galerias do telhado da escola estão cheias de água parada e com lodo (Fotos: Luciano Muta)Galerias do telhado da escola estão cheias de água parada e com lodo (Fotos: Luciano Muta)
Fachada do Colégio Estadual Recolhidas Álvaro M. Neto que está desativado Fachada do Colégio Estadual Recolhidas Álvaro M. Neto que está desativado

Desativado há cerca de um ano e meio, o Colégio Estadual Recolhidas Álvaro M. Neto se transformou em ameaça de dengue para os moradores do bairro Taveirópolis, em Campo Grande, em meio à epidemia de dengue que a cidade enfrenta. O cenário do prédio onde funcionava a escola é de completo abandono, com mato alto, água parada, lixo, depredação, drogas e muito entulho.

Mas o que mais chama a atenção no colégio é o telhado, onde existem galerias que formam verdadeiras piscinas de água parada, nas quais o lodo toma conta e também há larvas de mosquito.

Por causa das piscinas formadas na laje do colégio, ocorreu infiltração no teto e as salas do prédio estão alagadas, com poças de água parada. Onde funcionavam os banheiros, os vasos sanitários viraram depósito de fezes, urina, vômito e muita sujeira.

O lixo toma conta de todo o colégio desativado. Nas salas foram encontrados cachimbos de drogas e outros vestígios de que o local é frequentado por dependentes químicos e moradores de rua.

Onde funcionava o banheiro, os vasos sanitários estão nesta situação: com fezes, urina, vômito e muita sujeiraOnde funcionava o banheiro, os vasos sanitários estão nesta situação: com fezes, urina, vômito e muita sujeira
Por causa das piscinas formadas na laje do colégio, ocorreu infiltração no teto e as salas estão alagadasPor causa das piscinas formadas na laje do colégio, ocorreu infiltração no teto e as salas estão alagadas

Morando a poucos metros da escola, a dona de casa Aparecida Pereira, 77 anos, conta que tem medo do que essa sujeira toda pode trazer aos moradores do bairro. “Meu maior medo é a dengue, que eu já peguei em 2010 e sei que se pegar de novo é mais complicado”, comenta a idosa.

A preocupação é tanta, que ela afirma que neste final de semana juntou dois sacos plásticos com lixos que estavam na rua. “Peguei até o que não estava em frente à minha casa, que não era obrigação minha”, conta.

Outro morador do Taveirópolis, o aposentado Herculano Mariano Nunes, de 63 anos, conta que o local se transformou em “criadouro de mosquito e abrigo para malandro”.

O aposentado denuncia que no prédio abandonado já houve até animal morto. “É uma nojeira, mas também os populares são muito relaxados, joga lixo lá e não se preocupa com a saúde”, comenta.

Segundo o morador, a prefeitura fez a limpeza na lateral do colégio há quatro meses. “E para ajudar, o fumacê só passou aqui perto apenas uma vez este ano, com toda esta situação”, reclama.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação, a limpeza do prédio do colégio está programada para esta semana.

Nas salas do colégio abandonado também foram encontrados cachimbos de drogas e outros vestígios de que o local é frequentado por usuários Nas salas do colégio abandonado também foram encontrados cachimbos de drogas e outros vestígios de que o local é frequentado por usuários
A sujeira toma conta em toda parte do colégio desativadoA sujeira toma conta em toda parte do colégio desativado


Essa escola não esta funcionando,mas na escola do jardim aeroporto tem escolas que estão funcionando e ha um criame de dengue com e que fica a população com esse descaso.
 
rosa amélia moraes de abreu em 29/01/2013 21:40:04
Sidnei, vai dar o prédio para a região escoteira fazer o que?a maioria dos grupos passa fome, desde o meu tempo de escotismo.e faz tempo.
 
Carlos Henrique em 29/01/2013 09:56:03
Nossa !!!!realmente é um vergonha, toda essa sujeira bem na area central, o poder público tem a obrigação de manter o local limpo, como algumas pessoas ja disseram ou aproveitar este espaço para colocar alguma secretaria para ajudar a população,mas é uma questão para ontem, antes que ocorram mais mortes em função do descaso do poder público em manter o local limpo ou ocupado com algum benefício para a populução.Até quando!!!!!!
 
Alba Eudoxia Ribeiro em 29/01/2013 09:47:00
Essa escola agora pertence à União, por falta de interesse do estado, pois ela seria a escola do Bombeiro (que hoje funciona em um predio condenado), ou uma unidade de investigação da Policia Civil.
E sendo da união, ai que o descaso é grande.
Dalhe DENGUE, e outras cozitas mas.
 
Junior Mascarenhas em 29/01/2013 06:58:34
que vergonha
o poder publico que tanto fala
que reprime
é o primeiro a botar na reta
uma escola abandona, poderia estar em plento funcionamento.
deposito de lixo, drogados, mosquitos, animais peçonhentos,
dificil
hein
 
julio junior em 28/01/2013 23:17:53
Um belo lugar para se construir a nova camara de vereadores e isso não pode ser desconsiderado ou continuemos gastando horrores para combater uma DENGUE que o poder público pode acabar usando esses espaços abandonados,como na José Antonio com Barão do Rio Branco um ótimo prédio para construir também,que o povo possa cobrar como se gasta o dinheiro público
 
luiz carlos santos messias em 28/01/2013 22:30:19
Vou dar uma sujestão aos responsáveis por esse espaço: Façam uma reforrma e doam o prédio a Regional Escoteira do MS. Infeizmente, o Escotismo aqui não recebe o apoio que deveria e muitos grupos não possuem sedes, mas continuam dando atividades para nossas crianças e jovens, mesmo sem o apoio do governo e municipio.
 
sidnei garcia em 28/01/2013 20:43:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions