A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

17/06/2016 19:33

Gestora sugere que falha em manipulação pode explicar "sumiço" de vacinas

Nyelder Rodrigues
Cada frasco deve servir para 10 vacinas, porém, falhas na manipulação podem diminuir o rendimento dos frascos, segundo explicação da enfermeira à polícia (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Cada frasco deve servir para 10 vacinas, porém, falhas na manipulação podem diminuir o rendimento dos frascos, segundo explicação da enfermeira à polícia (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

A enfermeira que trabalha na coordenação dos quatro distritos de saúde de Campo Grande e foi prestar depoimento nesta sexta-feira (17) na investigação sobre o "sumiço" de doses de vacina contra a gripe A na rede pública de saúde afirmou que, caso a situação seja comprovada, ela pode ser explicada por possíveis falhas de manipulação durante a aplicação.

A servidora municipal, acompanhada do delegado Luiz Carlos Bueno, conversou com o delegado do 1º DP (Delegacia de Polícia Civil), Fabiano Nagata, por cerca de duas horas. A possível falha de manipulação seria ocasionada durante a "correria do dia a dia dos postos", fazendo com que frascos seguem quebrados, por exemplo.

"Uma coisa que eu não sabia e a testemunha também explicou é que, quando as doses são aspiradas pela seringa, elas tem que ser na quantidade exata. Se pegar a mais, não pode devolver o líquido, então ele é descartado. Isso pode dar diferença na quantidade de doses que são aplicadas com um frasco", diz o delegado.

Logo quando a questão da falta de vacinas foi exposta na imprensa, a prefeitura alegou que os frascos, ao invés de 10, continham apenas oito doses. O fornecedor, o Instituto Butantan, negou tal fato e ainda indicou que a diferença seria explicada por erros cometidos no momento da aplicação, tal como a enfermeira disse hoje.

"Ela é a encarregada de distribuir essas vacinas e também medicamentos dos distritos para os postos. Não faz aplicações, mas como tem formação em Enfermagem, explicou que eventualmente esse erro pode acontecer. Ela também disse desconhecer os fatos denunciados [desvio de vacinas e aplicação em pessoas fora do grupo de risco]", frisa Bueno.

Sem indícios e esclarecedor - Além disso, Luiz Carlos Bueno conta que o depoimento da enfermeira, como testemunha, corrobora com a dito por outra cliente dele, a técnica do Serviço de Imunização da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Cássia Kanoaka. A fala do delegado Nagata vai de encontro com a afirmação do advogado.

"O depoimento hoje trouxe vários esclarecimentos e também não deixou indícios. As informações obtidas aqui podem ser muito úteis para o futuro. As falas não deixaram indícios de nenhuma irregularidade cometida, por enquanto", revela Nagata, que segue com as investigações. "Muitas coisas podem aparecer ainda, não há como cravar nada".

Questionado sobre como tais falhas de manipulação poderiam ter ocasionado o "sumiço" de mais de 30 mil doses (como apura CPI aberta na Câmara), o delegado foi cauteloso ao dizer que ainda não há como falar em número de vacinas, já que a situação não foi comprovada e há apenas denúncias, sem materialização.

A possibilidade de usar exames, como o de sangue, para tentar provar se os suspeitos foram vacinados, foi descartadas pelo delegado. "Não sei nem se é possível. Se for, não pretendo chegar a esse ponto. Acho que expõe às pessoas a uma situação vexatória. É desnecessário", comenta.

Secretário ignora delegado e não vai à polícia depor sobre vacinação
O secretário de saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, não compareceu, na tarde desta sexta-feira (17), para depor no 1º Distrito Policial a respeit...
CPI da Vacina convoca Ministério da Saúde a detalhar repasse de doses
Os vereadores que compõem CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Vacina devem ouvir na próxima semana a coordenadora do Programa Nacional de Imun...


Isso, na minha opinião de leiga, é conversa pra boi dormir... Estão querendo enganar quem? Como uma profissional pode dizer que o "sumiço" de mais de 30.000 doses foi ocasionado por erro de manipulação? Que profissionais são esses que desperdiçam doses, quebram frascos de vacina, entre tantas outras desculpas sem cabimento? Como já disse em outros comentários, trabalhei por mais de 8 anos da SESAU como administrativo e participei de várias campanhas de vacinação e sei que esses profissionais são muito bem treinados e preparados. Essa desculpa é mais uma maneira de tentar encobrir o desvio das vacinas que serviram para atender a pessoas que não faziam parte do grupo prioritário, ou seja, amigos, parentes, não só do sr. prefeito, mas de todos os funcionários, porque cada um levou parentes...
 
Mariana Carvalho em 17/06/2016 23:58:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions