ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Golpista do “envelope em branco” volta e empresário perde R$ 2 mil

Por Aliny Mary Dias | 02/10/2013 15:13

Duas lojas de materiais de construção de Campo Grande foram alvo da ação de um golpista que começou a agir no início de setembro. Em uma das lojas, o proprietário de 46 anos perdeu R$ 2 mil ao ser enganado ao telefone por um homem.

Assustados com a ação do estelionatário, que até ameaçou a funcionária de uma das lojas, as vítimas terão a identidade preservada nesta reportagem.

Na primeira ligação, no início de setembro, o homem que se passava por Marco Antônio e dizia morar em Alta Floresta (MT) pediu um orçamento para compra de madeiras. No total, a compra somou cerca de R$ 1 mil. O golpista disse que depositaria o valor na conta corrente da loja e que buscaria a madeira no dia seguinte.

Pouco tempo após o contato, o homem ligou novamente dizendo que havia depositado cerca de R$ 3 mil em razão de um erro da própria empresa. Diante da situação, o golpista insistiu para que a vítima devolvesse o “troco” da transação.

A vítima conta que o homem ligava a cada cinco minutos para cobrar o depósito. “Ele ligava insistindo muito que precisava do dinheiro, nós consultamos e vimos que ele havia depositado e acabamos devolvemos os R$ 2 mil antes do valor ser compensado”, explica o empresário de 46 anos.

No dia seguinte, o dono da loja percebeu que havia caído no golpe quando o extrato bancário mostrou que o envelope depositado pelo golpista estava vazio. “Nós ainda ligamos para o homem várias vezes e na última ele disse ‘perdeu R$ 2 mil, seu trouxa’”, conta a vítima.

Uma semana depois, a mesma situação ocorreu com outra empresa de materiais de construção. Os funcionários só não caíram no golpe porque haviam sido alertados pela primeira vítima.

A funcionária de 26 anos, que atendeu o telefone, conta que a ação do golpista foi a mesma. “Ele fez o orçamento de R$ 970, nos depositou um envelope de R$ 4,9 mil e disse que houve um erro. Ele insistiu para que a gente depositasse a diferença, mas desconfiamos e não fizemos a transação”, conta a jovem.

Sem sucesso na primeira tentativa, o golpista agiu novamente ontem (1º). Com a mesma desculpa de que havia ocorrido um erro no pagamento, o homem insistiu para que a empresa devolvesse mais de R$ 2 mil de diferença.

A funcionária do financeiro da empresa atendeu as ligações do golpista e ainda recebeu uma ameaça ao dizer que desconfiava do depósito. “Ele insistiu tanto que eu disse que se tivesse dinheiro no envelope a gente devolveria. Irritado, ele disse que se tivesse dinheiro de verdade eu me veria com ele”, conta a funcionária que ficou assustada.

Apesar de um empresário ter perdido R$ 2 mil e outro quase ter caído no golpe, os comerciantes não procuraram a polícia para registrar os boletins de ocorrência.

Atenção – O delegado da 1ª delegacia da Capital, Miguel Said, explica que o golpe é conhecido como envelope em branco e é antigo. “Todos os dias cai muita gente nesse golpe, é bastante antigo, mas ainda faz vítimas”, conta o delegado.

Para não perder dinheiro e evitar cair no golpe, Said afirma que o melhor caminho é não ceder à pressão das pessoas que se passam por idôneos. “As pessoas precisam procurar o financeiro das empresas e só devolver algum valor quando o depósito for confirmado e faturado”, completa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário