A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 26 de Abril de 2019

01/03/2019 14:46

Ilhados a cada chuva, moradores da Chácara dos Poderes cobram prefeitura

Grupo de proprietários de imóveis na região pede à Sisep rede de drenagem e cuidados para evitar o assoreamento do Córrego Pedregulho

Humberto Marques e Mayara Bueno
Imagem capturada por moradora mostra estrada na Chácara dos Poderes tomada por enxurrada. (Foto: Direto das Ruas)Imagem capturada por moradora mostra estrada na Chácara dos Poderes tomada por enxurrada. (Foto: Direto das Ruas)

A ocupação é diferente da maioria da zona urbana de Campo Grande, sendo ainda dominada pelo verde e a falta de infraestrutura como iluminação pública, asfalto e, a maior queixa dos moradores, sistema de drenagem. Ainda assim, quem é dono de uma das 1,5 mil propriedades da Chácara dos Poderes e no Jardim Veraneio –região norte da Capital– afirma pagar IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) em valores entre R$ 3 mil e R$ 6 mil e sofrer, a cada chuva mais forte, com constantes alagamentos das estradas.

Na terça-feira (26), os bairros novamente foram tomados por enxurradas que, literalmente, impediram famílias de entrar e sair de seus imóveis, estopim para que um grupo formado por cerca de dez moradores fosse à Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura de Transporte) na tarde desta sexta-feira (1º) pedir ao titular da pasta, Rudi Fiorese, providências para dar fim a um problema que se arrasta por décadas.

O relato das dificuldades já foi decorado: a enxurrada se forma no Jardim Noroeste, concentra-se na Rua Urupês e causa alagamentos e enxurradas nas Estradas EW2, EW3, NE2 e SE1 (Bolicho da Curva), chegando ao Córrego Pedregulho –que está ameaçado de assoreamento– e impedindo o tráfego de veículos.

O pedido inicial, frisam, é para que a prefeitura implante um sistema de escoamento de águas pluviais eficiente para os dois bairros. A situação já levou mãe a filha a trocarem o bairro pelo Carandá Bosque. “Não moramos mais lá, mesmo tendo casa, justamente por causa das chuvas. Quando acontecia ficávamos ilhadas”, disse uma moradora.

Ela ainda relatou que já chegou a ficar cinco horas com o neto dentro de um carro porque “não tinha como voltar ou sair”. Além de uma chácara, a família ainda tem um lote não construído sobre o qual afirma pagar R$ 2 mil entre IPTU e taxa para coleta de lixo “mesmo não tendo nada lá”.

Reparo em via da Chácara dos Poderes; moradores afirmam que problema com enxurradas sempre volta. (Foto: Arquivo)Reparo em via da Chácara dos Poderes; moradores afirmam que problema com enxurradas sempre volta. (Foto: Arquivo)

“Ontem ficamos uma hora e meia parados por causa da chuva”, afirmou a também moradora Tatiane Ota. Ela levava consigo um vídeo que mostra, além dela e da mãe “ilhadas”, a dificuldade para uma caminhonete passar pelas ruas em meio as enxurradas. “Alagamento lá tem desde 2002”, afirmou ela.

Pedregulho – Os moradores contabilizam nos dois bairros 1.510 chácaras e propriedades menores, a grande maioria sem construção. Um deles apresentou, para uma propriedade de 600 metros quadrados, um carnê de IPTU no valor de R$ 6 mil.

Há sete anos proprietária de uma chácara na região, a empresária e artista plástica Rosane Bonamigo faz outro alerta, referente à conservação ambiental: segundo ela, em sua propriedade está a nascente do Córrego Pedregulho, “que está morrendo aos poucos”. O curso d’água, conforme já apontaram reportagens do Campo Grande News a partir de denúncias da comunidade, tem seu leito danificado a cada enxurrada e corre risco de assoreamento.

Rosane ainda afirma que os reparos realizados pelo município ao longo dos anos são insuficientes. “Passa um tempo e acontece tudo de novo”.

De Fiorese, os reclamantes esperam o compromisso de que, já que o bairro recolhe IPTU, tenha serviços previstos para a zona urbana –como unidades de saúde, coleta de lixo, ponto de ônibus, calçamento e melhorias na iluminação pública, hoje existentes a cerca de 14 km dali, no Jardim Noroeste. Outra sugestão é da instituição do IPTU Verde, que garantiria descontos para quem mantiver áreas de preservação em suas propriedades.

O vereador Eduardo Romero (Rede) acompanha as reivindicações dos moradores. Confira, abaixo, vídeo feito por moradora mostrando momento em que rua foi tomada por enxurradas na última chuva.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions