ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Juiz mantém prisão e motorista que causou morte da esposa vai para penitenciária

Willian Moraes dirigia carro, furou sinal e esposa morreu em colisão; polícia constatou sinais de embriaguez

Dayene Paz | 16/05/2023 10:27
Acidente na Avenida Mato Grosso, na noite deste domingo. (Foto: Direto das Ruas)
Acidente na Avenida Mato Grosso, na noite deste domingo. (Foto: Direto das Ruas)

O juiz Aluizio Pereira dos Santos manteve a prisão do motorista Willian Junior Moraes Guimarães, de 25 anos, responsável pelo acidente que provocou a morte da esposa, Ângela Maria Santos Vieira, 27, na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande, na noite de domingo (14). A prisão preventiva foi decretada na manhã desta terça-feira (16) e ele será encaminhado a uma penitenciária da Capital.

Na decisão, Aluizio afirmou que, embora o crime tenha sido classificado pela polícia como culposo, não é recomendável a liberdade de Willian, como foi pedida pela defesa. "(...) em especial pela negativa do autuado na realização do exame de alcoolemia, pela possível ultrapassagem de sinal vermelho em uma das avenidas mais movimentadas desta capital (Av. Mato Grosso) em excesso de velocidade, que resultou na morte de sua namorada e lesões graves em outras duas vítimas (...)".

Ainda, o juiz contesta a alegação da defesa de que a soltura de Willian não atrapalharia a investigação do caso. "(...) diferentemente do que alega a Defesa, desproporcional seria conceder a liberdade provisória neste ato, em que concomitantemente uma das vítimas está sendo velada e sobre as outras duas não se tem notícias de seu estado de saúde, de modo que infiro não ser prudente nem recomendável a concessão de medidas cautelares mais brandas".

Defesa - Em pedido de liberdade, a defesa chegou a citar o 5º artigo do Código Penal, em que consta que na hipótese de homicídio culposo "o juiz poderá deixar de aplicar a pena, se as consequências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave que a sanção penal se torne desnecessária".

Segundo a defesa, Willian não tinha a intenção de matar a esposa. "(...) certamente incidirá no caso em tela o perdão judicial, vez que o sofrimento ocasionado pela situação em si de perder sua esposa será um eterno martírio que perdurará pelo resto de sua vida".

Acidente - O acidente ocorreu por volta das 22 horas de domingo (14). Willian Junior Moraes Guimarães conduzia um Volkswagen Jetta pela Avenida Mato Grosso, quando, segundo boletim de ocorrência, no cruzamento com a Rua Dr. Paulo Machado, furou o sinal vermelho e bateu em um Chevrolet Tracker, conduzido por uma mulher.

Após o impacto, o Jetta invadiu o canteiro central, derrapou na pista e colidiu no muro de uma empresa. Willian recebeu atendimento, mas não precisou ser encaminhado a unidade de saúde. Ângela ocupava o banco dianteiro do passageiro, justamente o lado atingido pelo Tracker. Ela recebeu atendimento no local, mas não resistiu e morreu. O passageiro que ocupava o banco de trás sofreu ferimentos leves e foi socorrido.

Já o Tracker, após a colisão, girou sobre a pista e parou na Avenida Mato Grosso. A condutora teve um grave ferimento no braço e foi socorrida por familiares.

Willian relatou que desde as 17h30 estava com os amigos em uma conveniência na Rua Antônio Maria Coelho, quando decidiram ir embora. Ele se recusou a realizar o teste do bafômetro, mas conforme a Polícia Militar "apresentava diversos sintomas de alcoolemia, tais como hálito etílico, dificuldade de equilíbrio e locomoção, fala desconexa, olhos avermelhados e vestes descompostas".

A perícia ainda constatou que provavelmente Willian trafegava em alta velocidade. No Jetta, foram encontradas várias garrafas de cerveja. Willian foi preso em flagrante.

Ângela deixou dois filhos pequenos. O enterro aconteceu na manhã de hoje.

Nos siga no Google Notícias