ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Mulher que morreu em acidente na Capital estava a duas quadras do trabalho

Marido levava Belquis Maidana para o local onde trabalha como auxiliar de cozinha e seguiria para oficina

Por Antonio Bispo | 09/12/2023 16:56
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Belquis Maidana, de 51 anos, e João Paulo Alves, de 43, vítimas de um acidente de trânsito na manhã deste sábado (9), no cruzamento das ruas Antônio Maria Coelho e Bahia, em Campo Grande, estavam a caminho do trabalho quando foram atingidos por um veículo Toyota Etios, conduzido por um servidor do Governo de Mato Grosso do Sul.

Ao Campo Grande News, a irmã de João Paulo, Jorcieny Farias Cardoso Ribeiro, contou que o casal seguia para o trabalho de Belquis, localizado a apenas duas quadras do local do acidente, onde atuava como auxiliar de cozinha. “Meu irmão estava indo levar minha cunhada no trabalho. Ele ia deixar ela no serviço e ia para o trabalho dele [uma oficina mecânica]”, relatou.

Apesar de o acidente ter acontecido às 6h da manhã, Jorcieny só foi informada do ocorrido por volta das 14h, quando a filha da vítima a procurou para contar o que aconteceu. Abalada, a família foi para Santa Casa e aguarda notícias dos médicos a respeito da cirurgia que João Paulo está sendo submetido, devido aos graves ferimentos sofridos na batida.

“Ele está em estado grave, mas não sabemos o que ele sofreu. Faz horas que está lá na cirurgia e ninguém sabe de nada ainda”, disse.

Jorcieny ao lado do irmão, João Paulo (Foto: Arquivo de família)
Jorcieny ao lado do irmão, João Paulo (Foto: Arquivo de família)

Enquanto esperam por notícias, a família também se mobiliza para liberar o corpo de Belquis no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), para onde foi levado, após a vítima não resistir aos ferimentos e morrer no local do acidente.

Jorcieny conta que o casal estava junto há quase 20 anos e que não possuíam nenhum filho em comum. Entretanto, Belquis deixou uma filha de outra relação, além de três netos. “Estamos arrasados com essa perda, estamos em choque. Primeira vez que algo assim acontece na nossa família”, relatou.

Corpo da vítima ficou na calçada após a batida (Foto: Natália Olliver)
Corpo da vítima ficou na calçada após a batida (Foto: Natália Olliver)

O acidente - A vítima, que estava na garupa de uma Honda Biz azul, que seguia pela Rua Bahia quando foi atingida por um Toyota Etios branco, que pertence a frota oficial do Governo do Estado, e que trafegava pela Antônio Maria Coelho. O impacto da colisão foi tão forte que a mulher foi lançada para a calçada, morrendo instantaneamente.

Segundo informações do Batalhão de Trânsito, o acidente teria sido causado pelo motorista do veículo, que teria desrespeitado o sinal vermelho no momento da colisão. Além disso, de acordo com a Polícia Militar, o condutor se recusou a realizar o teste de bafômetro.

O local do acidente foi isolado para a realização da perícia, e o trânsito no cruzamento ficou congestionado durante a manhã. A Polícia Civil foi acionada para fazer o trabalho de perícia no local.

O delegado-geral, Roberto Gurgel, confirmou que o servidor Guilherme de Souza Pimentel, funcionário comissionado, está sob investigação por suspeita de homicídio praticado com veículo automotor, lesão corporal e embriaguez ao volante.

De acordo com Roberto, o acidente ainda está sendo minuciosamente investigado pela equipe de perícia da Polícia Civil, onde será determina a dinâmica da colisão, com análise de câmeras e imagens de circuitos de videomonitoramento de comércios, prédios e casas da região, incluindo a análise de possíveis violações de sinais de trânsito e a questão do consumo de bebidas alcoólica.

“Um dos meios que a lei prevê é o termo de constatação feito pela Polícia Militar, esse termo foi efetivamente feito, onde a Polícia Militar atesta que ele estava alcoolizado”, afirmou Gurgel.

Enquanto as investigações estão em andamento, o servidor foi encaminhado para a Depac Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada), onde está sob custódia e aguarda as decisões finais do delegado responsável pela investigação, que decidirá sobre a lavratura do auto de prisão em flagrante ou outras medidas legais pertinentes ao caso.

No final desta manhã, o Governo informou, via assessoria de imprensa, que o funcionário comissionado, lotado na Segov (Secretaria Estadual de Governo), foi “imediatamente afastado de suas funções”. Conforme apurado pela reportagem, como o servidor não tem estabilidade de concurso e estava dirigindo veículo oficial, terá a exoneração publicada em Diário Oficial na segunda-feira (11).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias