A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

27/10/2012 11:39

No centro, acadêmicos divulgam importância da Fisioterapia para prevenção

Gabriel Neris e Elverson Cardozo
Acadêmicos de fisioterapia participam de mobilização no Centro de Campo Grande (Fotos: Rodrigo Pazinato)Acadêmicos de fisioterapia participam de mobilização no Centro de Campo Grande (Fotos: Rodrigo Pazinato)

Os cursos de fisioterapia de Campo Grande organizam neste sábado (2) ação e mobilização em alusão ao dia do profissional, comemorado no dia 13 de outubro. A intenção é divulgar a profissão e mostrar a sociedade que o profissional pode agir de maneira preventiva. A ação está acontecendo na Praça do Rádio Clube.

Os acadêmicos explicam que o objetivo é desmistificar a profissão, e colocar para a população que o fisioterapeuta não atua somente com massagens e reabilitação.

A mobilização também promove a interação entre os acadêmicos de vários semestres, com tendas de serviços de saúde a população, como aferição de pressão arterial, exercício de ergonomia com bola, ginástica elaboral e informações básicas sobre anatomia, para mostrar de que forma o profissional atua.

O evento foi divulgado pela rede social Facebook. Os acadêmicos compareceram com cartazes em referência ao dia do profissional. Um desses cartazes deixa o recado para a população. “Fisioterapia e Atenção Básica: Saúde de qualidade se constrói em equipe”.

Panfletos estão sendo distribuídos em diversos pontos da cidade para atrair as pessoas até a praça.

De acordo com a acadêmica Nathália Braga, 21 anos, acadêmica do sexto semestre da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), a intenção é divulgar o cursos, fortalecer a interação com outros alunos, e mostrar que o trabalho não se resume a reabilitação, mas também com prevenção.

“Enquanto não tem conhecimento, não sente falta do que não tem. A gente pode e deve trabalhar na prevenção”, diz.

Jéssica Thomé, 21 anos, também do sexto semestre da UFMS, conta que gosta da área de reabilitação e também da área hospitalar. “O profissional analisa não só se o paciente precisa de reabilitação, mas também a situação sócio-econômica é levada em consideração para oferecer tratamento adequado”, explica.

Alunos utilizam exemplar de corpo humano durante açãoAlunos utilizam exemplar de corpo humano durante ação

“Minha intenção é trabalhar em hospital e atender, preferencialmente, pessoas com doenças degenerativas”, conta.

Divulgação – Os alunos estão no local para divulgar a eleição da Associação dos Centros Acadêmicos de Fisioterapia e a Jornada Acadêmica de Fisioterapia, que será realizada na UFMS entre os dias 8 e 10 de novembro, com cursos e palestras.

Em panfletos distribuídos, os acadêmicos reclamam que existem apenas oito fisioterapeutas contratados pelo município.

Os alunos explicam que o profissional atua em todos os espaços da saúde, como centro de saúde, departamento ocupacional de empresas, estruturas esportivas, escolas, instituições de ensino especial, instituições de apoio aos idosos e hospitais, centros de reabilitação, estabelecimentos termais e UTI’s. 



Concordo que o profissional fisioterapeuta tenha conhecimentos técnico acadêmicos para atuar na prevenção, porém há de se considerar os limites éticos entre as profissões, o que contribui para a boa atuação em equipe multiprofissional, afinal diante dos conceitos atuais de saúde e principalmente com relação a clínica ampliada, o público alvo, paciente ou não, deve ser considerado em sua totalidade.
 
ALINE SZUCS em 27/10/2012 12:19:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions