A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

10/03/2013 15:16

Ong convoca população a levar cães em audiência sobre Leishmaniose

Paula Maciulevicius

A Ong Abrigo dos Bichos realiza na próxima quarta-feira uma audiência pública contra a política de combate à Leishmaniose na Justiça Federal. A audiência quer mobilizar a atenção de especialistas e integrantes de movimentos de proteção animal de todo o país. Na quarta-feira, integrantes e simpatizantes dos movimentos de proteção animal podem inclusive participar da audiência acompanhados dos cães.

O processo, proposto em 2007 pelo Abrigo dos Bichos na Justiça Estadual contra a prefeitura de Campo Grande e a Secretaria Municipal de Saúde e que depois foi deslocado para a Justiça Federal, quer impedir que a prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde e do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), continue praticando a eutanásia de cães como única política de controle da doença e que adote medidas mais éticas e rígidas na abordagem da população nas casas.

O Abrigo dos Bichos questiona a eutanásia de cães e alega que os exames aplicados no CCZ são testes não conclusivos, que levam ao sacrifício animais sadios e que, conforme pesquisas científicas, não há comprovação de que o cão esteja relacionado a transmissão da doença para o ser humano.

A Ong sustenta também que a legislação brasileira coloca os animais como propriedade dos donos e que não podem ser coagidos pelo poder público a sacrificar sem a devida indenização. A ação também propõe mudanças nos procedimentos dos fiscais da vigilância sanitária, condicionando a entrada dos funcionários municipais nas residências somente após a assinatura do Auto de Permissão Consciente e Esclarecida, por parte do morador. O proprietário também deve ser informado, no ato da visita, de que não é obrigado a liberar a coleta de sangue do animal e que a permissão deve ser um ato de livre e espontânea vontade.

A ação do Abrigo defende ainda que os resultados de quaisquer exames devem ser entregues aos proprietários e protocolados, informando ao cidadão o direito de exigir exame de contraprova custeado pelo Poder Público Municipal. hoje os proprietários têm que pagar pelo exame de contraprova que, em muito casos, comprovam que o CCZ realiza diagnósticos errados. O direito a decisão pelo tratamento ou eutanásia, quando positivo, também deve ser informado.

A audiência pública será realizada a partir das 14 horas, na sede da Justiça Federal, no Parque dos Poderes.



Sou idealizador do projeto Censo Animal que tem como objetivo concentrar informações sobre o mundo animal promovendo o bem estar, guarda responsável, estimulando a adoção e aproximando entidades e pessoas com interesse em adotá-los.

Tenho algumas sugestões de parceria com sua entidade: http://www.censoanimal.com.br/parceiro-censo-animal/

Muito Obrigado!




 
Fabiano Corrêa em 18/08/2013 16:59:44
eu tenho um cao fila d 4 mes ele ta doente ok eu faco pois ja gastei um monte ja nao tenho mas ok gastar acabou o dinheiro m ajuda ai devo fasrr ok
 
kid assuncao em 15/03/2013 10:54:04
Sou a favor do tratamento de cães que têm essa doença. Pouca gente sabe que a leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha. Nada tem a ver com os cachorros, como muitos imaginam. Uma maneira fácil e eficaz para afastar o inseto é usar repelente na pele. Mas não é qualquer produto. A Organização Mundial da Saúde recomenda o uso de Icaridina. É por isso que eu uso Exposis.
 
Kátia Linhares em 14/03/2013 17:31:34
O Brasil inteiro está na expectativa de que a Justiça efetivamente acabe com esse canicídio. Gasta-se muito dinheiro com exames falso-positivos e eutanasias, mas não se preocupam com prevenção: coleira especial, vacina, educação do povo, castração de animais, tratamento dos animais. Há 40 anos uma decisão equivocada nos leva a matar animais (imaginem quantos!!!), enquanto a doença só cresce por aqui. Fazemos o aposto que o resto do mundo, que trata!!!! O Ministério da Saúde, cego, surdo e mudo, não se manifesta nem mesmo sobre a vacina, que está há anos no mercado e foi liberada pelo vizinho Min. Agricultura. É uma vergonha, um descaso, uma sujeira. Tudo para não haver gastos públicos. Mas não se deixe levar pela conversa de alguns: esse dinheiro tbem não vai para a saúde pública... some!
 
Simone Ravazzolli em 14/03/2013 04:17:24
Roberto Perez e Camila Alves, vcs são 2 pessoas alienadas e obtusas, se ñ sabem o q estão falando fiquem calados. R.P. 1º acredito que vc faz parte daquela turma que prefere ver milhões investidos em estádios de futebol, diga-se de passagens elefantes brancos, q ñ servirão para nada após a COPA, mas isso ñ é problema certo!? a saúde publica que fique a mingua esperando recursos desviados para COPA. Já para vc C.A., que ñ passa de uma subordinada, me recuso a falar algo...ñ possui massa encefálica para entender algo do gênero.
 
Luiz Felipe Silveira em 12/03/2013 09:12:02
Camila Alves, quando seus pais ficarem velhos ou doentes, vai mandá-los para serem eutanasiados também? por ser mais prático e mais barato?

 
Andréia Tomi em 12/03/2013 00:35:49
A eutanásia nem sempre é a melhor saída, na verdade falamos de vidas. Este é um assunto pelo qual pessoas discutem sem saber a origem da vida do mosquito. Será que realmente sacrificar é o melhor? E porque somente os cães? Porque não felinos, roedores, animais exóticos ou até mesmo nós humanos? Voltando um pouco na origem da vida, estes mosquitos são frutos criados por nós mesmos. A ganancia humana, em desmatar, em não cuidar trouxe estes pequenos mosquitos para nosso habitat. Qualquer pessoa pode ter leishmaniose, afinal de contas moramos em uma região endêmica, que pela lógica quem esta próximo ao homem são nossos cães. Todo cão com leishmaniose pode ter uma vida longa com um tratamento adequado. Mas antes de tudo saibam um pouco sobre o assunto informação nunca é de, ela acrescenta.
 
Laura Hotta em 11/03/2013 19:45:06
Meus cães são exemplos de que o diagnóstico do CCZ é falho, em 2010 os três deram positivo. apesar de eles serem vacinados e todo ano tomarem a vacina, o CCZ comunicou que eles deram psitivos e perguntaram quando eu entregaria os cães para sacrificar. Fiz contra-prova e não deu em nada, após isso eles já coletaram sangue mais duas vezes nos meu peludos e não deu positivo (como nunca entraram em contato nem deram o resultado, acredito que todos deram negativo), mas tive q brigar com eles. Bom, posso até ir preso, mas na minha casa só entram com mandado judicial. Na época que aconteceu pensei até em me mudar do Estado.
 
Mário Costa em 11/03/2013 09:35:13
ESTA DOENÇA, SÓ QUEM NÃO SABE O PROBLEMA, QUE QUER PRESERVAR OS HOSPEDEIROS DELA, QUANDO INFECTADO, CERTO QUE A SOCIEDADE EM GERAL, DEVERIA COMBATER OS MOSQUITO, MAS A HUMILDADE É TANTA, VAMOS CONVERSAR COM OS VIZINHOS, PARA JUNTOS, COMBATERMOS, É UM TRABALHO NOSSO, NÃO SÓ DOS GOVERNANTES, MAS GENTE, SE INFETCTADO, QUAISQUER ANIMAIS, DEVE-SE, SER EXTERMINADO, POIS OS ANIMAIS, SÃO FORTES, SOFREM, IMAGINEM O SER HUMANO, ALÉM DE CARO O TRATAMENTO, NUNCA FICARÁ LIVRE, E É ALTAMENTE TRANSMISSORA, PORTANTO, SOU A FAVOR DA EXTERMINAÇÃO, E CUIDADO COM SUJEIRA NOS QUINTAIS, E ANIMAIS DENTRO DE CASA, ELES TEM DOENÇAS, TRANSMISSÍVEIS AO HOMEM, E MUITAS, CONSULTEM UM MÉDICO OU VETERINÁRIO, HIGIENE.
 
PEDRO BRAGA em 11/03/2013 08:56:35
Como proprietária de animais, nos ultimos anos tenho observado que a Prefeitura de Campo Grande não tem mais investido em politicas preventivas com relação a leishmaniose. Em anos anteriores era feito a distribuição de coleiras anti mosquito. Porém essa distribuição não ocorre mais. A prefeitura não tem nenhum politica de combate ao mosquito, verdadeiro agente transmissor, e simplesmente quer praticar o exterminio dos animais contaminados. O Abrigo dos Bichos está realmente de parabéns pela iniciativa.
 
Ana Paula Floriano em 11/03/2013 08:48:36
Bom antes de ter uma opinião formada sobre este assunto gostaria de saber, quais as consequências negativas que o tratamento em animais pode trazer aos HUMANOS??
 
Jonas Dias em 11/03/2013 08:48:00
Só uma correção: não se promove audiência "contra" ou "a favor" de determinado tema. Audiência pública é um evento para DISCUTIR o assunto, justamente para que posicionamentos contrários e favoráveis sejam debatidos.
 
Leandro Romero em 11/03/2013 08:41:34
fica muito caro tratar o cachorro doente,é inviavel,esse dinheiro tem q ser aplicado na saude humana,o resto é inversao de valores,minha opiniao!!!
 
roberto perez em 11/03/2013 08:28:09
en vez de levar na audiencia,pq nao leva no centro de zoonoses?? mais pratico e muito mais barato.....
 
camila alves em 11/03/2013 08:27:13
Os cães tem que ser tratados e não exterminados, quem tem que ser banido é o mosquito.
 
gustavo machado ferreira em 10/03/2013 21:15:30
É mais fácil matar, gasta-se muito dinheiro com falcatruas, mais não querem gastar com tratamento, não se combate o mosquito porque o gasto é alto, é mais barato matar; uma cidade quem tem um CCZ e um hospital veterinário que é uma bagunça, uma verdadeira zona pode-se esperar o que?; repito é mais fácil matar, espero que a justiça tenha um lapso de luz, para darmos um novo início aos acontecimentos.
 
Nery Ribeiro em 10/03/2013 20:51:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions