A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/05/2011 09:59

Polícia verifica câmeras e sinais de sangue em suposta sala da tortura das Americanas

Angela Kempfer e Francisco Júnior
Delegada chega a sala para vistoria nas Americanas. (Foto: Francisco Júnior)Delegada chega a sala para vistoria nas Americanas. (Foto: Francisco Júnior)

Equipes da perícia e a delegada da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), Daniella Kades, estão neste momento na unidade das Lojas Americanas da rua Cândido Mariano para vistoriar a suposta “sala de torturas”.

O local é onde cliente diz ter sido espancado, depois de ser acusado de furtar ovos de chocolate, no dia 23 de abril, véspera de Páscoa.

A advogada da empresa, Giulianne Souza, acompanha o trabalho da Polícia e disse que a matriz em São Paulo não autorizou funcionários de Campo Grande a repassarem qualquer informação à imprensa.

A vistoria começou pelos corredores da loja, onde é verificada posição das câmeras de segurança, para saber quais as condições de filmagem no dia do espancamento do vigilante Márcio Antonio de Souza.

Márcio diz que apanhou do segurança Décio Garcia de Souza, que alega legítima defesa. A Polícia já começou a analisar as imagens do circuito interno, para confrontar as versões.

A delegada explica que também quer descobrir se houve alguma alteração no ambiente, entre o sábado e hoje.

Já na sala em que o vigilante diz ter apanhado, segundo a perícia, podem ser usados reagentes químicos para saber se ficaram marcas de sangue, o que poderia ser uma das provas do espancamento.

O caso teve repercussão nacional, no fim de semana, movimentos populares fizeram manifestação em unidade das Americanas em São Paulo,que acabou reprimida pela Polícia Militar.



vamos ver o que vai acabar este episódio.

tomara que não acabe em pizza.
 
djair meneses em 04/05/2011 12:23:17
O episódio do espancamento de uma pessoal nas dependências das Lojas Americanas em Campo Grande (MS), não pode restar na impunidade, tão comum em nosso Estado.

Tampouco, a punição deve se testringir ao agressor Décio Garcia de Souza. Pois, é descabido uma empresa argumentar que desconhece os atos de funcionários e prestadores de serviços, dentro de suas dependências.

Essa situação poderia ocorrer com qualquer pessoa. Portanto, eu, como consumidor e como cidadão, me reservo o direito de fazer duas coisas: primeito, repercutir essa gressão tão covarde; e, segundo, boicotar as Lojas Americanas.

Almir Farias da Cunha
campo-grandense, jornalista e professor
 
Almir Farias da Cunha em 04/05/2011 12:16:08
os funcionarios deste porte de loja eles sao desse jeito, primeiro eles julgam pela aparencia e depois acusam a pessoa sem prova nenhuma e depois perguntam se a pessoa pegou alguma coisa. não so nas lojas americanas mas como tambem no carrefour. um segurança do carrefour me julgou pela aparencia,falando que eu iria roubar a loja, so pelo simples fato de estar de chinelo na loja, nao quer dizer que estou de chinelo que so um ladrao, ladrao que é ladrao tambem se veste de terno.
 
fabiano batista lima em 04/05/2011 11:04:17
Estou com medo de entrar nesta loja novamente!
 
Luciana Seraphim em 04/05/2011 10:26:43
E vai encontrar hein, na quinta feira da mesma semana da violência, estávamos minha filha e eu no caixa, ouvimos um tumulto, adivinha? Um casal estava saindo aos gritos, e eles pareciam que tinha passado pelo mesmo problema. Uma vergonha o que tem acontecido na nossa capital. Pra que bater!!!! Parece que trazem os problemas de casa esses seguranças, não consigo entender, vai ver que lá eles não abrem a boca, ai desforram no primeiro que atravessa o caminho.
 
silvia dos santos pereira em 04/05/2011 10:23:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions