A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/01/2008 16:40

Construtora soma prejuízos de até R$ 7mil com furtos

Redação

Empresas da construção civil em Campo Grande estão acumulando prejuízos por conta de furtos de fios e torneiras em residenciais populares, construídas nos bairros da periferia. Há casos em que os prejuízos chegam a R$ 6 mil, descontado o risco que vigias e trabalhadores vivem diante da presença de bandidos.

O responsável pela VBC Engenharia, Rui Buzanelli, contou que o vigia de um dos empreendimentos que a empresa constrói para a CEF (Caixa Econômica Federal) foi há dias ameaçado por três homens armados com faca. O crime aconteceu no dia 4 de janeiro, em um residencial no bairro Coronel Antonino. Os ladrões levaram os fios durante a noite e, no dia seguinte, a empresa autorizou a retirada da fiação de 164 unidades. "Foi um prejuízo de R$ 5 mil. Estamos amedrontados", explica Buzanelli.

Situação semelhante enfrenta a empresa Delta Engenharia, que já acumula prejuízo médio de R$ 6 mil. Segundo o proprietário, Diego Araújo Nascimento, os furtos são mais comuns em regiões isoladas e, mesmo o reforço da segurança não impede a prática. Ele afirma que o atrativo principal é o cobre.

O engenheiro Antônio Carlos Tiburcio, da CGR Engenaria, revela que há dois tipos de furtos, os de rede de baixa tensão, que abastecem os canteiros e os da rede interna das casas. Para chegar ao material, os bandidos arrombam portas, danificam telhados e pintura, além de quebrar disjuntores e tomadas. Quando a busca é por torneiras, os ladrões quebram lavatórios, canos e revestimentos.

CustosAlém dos gastos para reparar os danos, os empresários precisam gastar com prevenção, e aumentam os investimentos em segurança para evitar prejuízos maiores. Tiburcio conta que depois que seguranças receberam ameaças, a empresa decidiu contratar um serviço especializado, o que reduziu o problema. Ainda assim, os construtores buscam alternativas. Eles explicam que tentam retardar ao limite a instalação dos fios e torneiras para atender os contratos com a CEF, que só aceita receber as unidades completas.

Para os empresários, a busca de soluções próprias é uma alternativa ao serviço policial, do qual a maioria está descrente. "Há 90 dias roubaram um trator e até hoje a polícia não sabe, como vai saber de fios", reclama Buzanelli. Tiburcio explica que todos os furtos e roubos são registrados, só a empresa dele contabilizou oito casos, nenhuma concluída.

Segundo a assessoria de imprensa da Caixa, o problema não é registrado quando o banco assume a responsabilidade pelos imóveis porque é contratada segurança especializada. A Caixa ainda tenta agilizar os sorteios e entrega de imóveis para prevenir danos.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions