A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

13/12/2016 10:41

Eleição para presidência da Câmara deve ter disputa após oito anos

Grupo se organiza para tentar lançar nome para disputar mesa diretora com candidato apoiado por Délia Razuk

De Dourados
Diplomados ontem, vereadores tentam se unir para disputar presidência da Câmara (Foto: Reprodução/Facebook)Diplomados ontem, vereadores tentam se unir para disputar presidência da Câmara (Foto: Reprodução/Facebook)

Depois de oito anos, a eleição para a presidência da Câmara de Vereadores pode ter disputa em Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. Dois grupos se articulam para lançar candidato para ocupar a cadeira que desde 2011 está com Idenor Machado (PSDB). A eleição será no dia 1º de janeiro.

Um grupo de oito vereadores, eleitos por coligações que apoiaram candidatos derrotados à prefeitura, tenta chegar a um nome de consenso para enfrentar o ex-prefeito Braz Melo (PSC), apoiado pela prefeita eleita Délia Razuk (PR).

Fazem parte desse grupo os vereadores reeleitos Sérgio Nogueira (PSDB), Idenor Machado, Pedro Pepa (DEM), Juarez Oliveira (PMDB), Cirilo Ramão (PMDB), Madson Valente (DEM) e Alan Guedes (DEM) e o ex-deputado federal Marçal Filho (PSDB), que volta à Câmara Municipal após duas décadas.

Nos bastidores, o nome que aparece com mais condições de ser candidato a presidente é o de Marçal Filho. O tucano, que perdeu a vaga de candidato a prefeito do PSDB para o deputado federal Geraldo Resende – segundo colocado na disputa – foi o vereador mais votado em outubro, com 4.065 votos.

Dourados tem 19 vereadores. Nos corredores da Câmara, os comentários são de que a disputa pela presidência está empatada – oito votos para cada lado. Restam três votos para serem conquistados até o dia da posse.

2009 – No dia 1º de janeiro de 2009 – última vez até agora que teve disputa para a presidência da Câmara, Sidlei Alves (DEM) foi eleito para ocupar o cargo por nove votos a três. A vitória foi garantida pelo chamado G-9, grupo formado logo após a eleição de outubro de 2008.

Na época, a Câmara de Dourados tinha 12 vereadores. Sidlei disputou o cargo com Júlio Artuzi (morto em fevereiro de 2015), que teve o próprio voto, o voto de Délia Razuk e de Dirceu Longhi (PT).

Um ano e meio depois da posse, 10 dos 12 vereadores de Dourados foram presos na Operação Uragano, inclusive Sidlei Alves. Todos foram cassados ou renunciaram, ainda em 2010.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions