A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

21/04/2019 11:17

Na véspera da Páscoa, polícia multa 7 por pesca ilegal e predatória

Suspeitos estavam pescado fora da medida permitida por lei

Danielle Valentim
Pescado fora da medida. (Foto: Divulgação/PMA)Pescado fora da medida. (Foto: Divulgação/PMA)

Durante fiscalizações em Angélica, Bonito e Três Lagoas, policiais militares ambientais autuaram sete homens por pesca ilegal e predatória. O flagrante ocorreu durante a Operação Semana Santa, na véspera do domingo de Páscoa.

Numa estrada vicinal que dá acesso ao rio Ivinhema, os militares abordaram dois motociclistas, de 24 e 26 anos. Nas garupas das motos foram encontradas em sacas 6,5 Kg de pescado, com sinais de terem sido capturados com redes de emalhar (petrecho proibido), bem como duas redes de pesca, que tinham utilizado na captura ilegal dos peixes.

Os veículos, as redes e o pescado foram apreendidos. A dupla foi presa e todo o material apreendido. Eles foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca e transporte de produto da pesca predatória e saíram depois de pagar fiança.

A PMA também lavrou auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 780 contra cada autuado. O pescado será doado para instituições filantrópicas depois de periciado.

Já em Bonito, a fiscalização fluvial ocorreu no rio Miranda e dois pescadores foram autuados por capturar e transportar pescado ilegalmente. Um infrator de 66 anos abordado em uma embarcação e havia capturado dois exemplares de peixes da espécie pacu, ambos abaixo da medida permitida por Lei.

Os exemplares tinham 32 e 35 centímetros, quando a medida permitida é de 45 centímetros. Com o infrator foram aprendidos 4 kg de pescado, um barco, um motor e uma carretilha com vara.

O pescador responderá por crime ambiental de pesca predatória. Se condenado poderá pegar pena de um a três anos de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e multado em R$ 820.

Outra equipe abordou um veículo onde estava um pescador amador, de 26 anos, residente em Campo Grande, que transportava ilegalmente 6 kg de pescado, que ele havia capturado no rio Miranda. O pescador não possuía licença de pesca e nem a Guia de Controle de Pescado (GCP) obrigatória.

O pescado foi apreendido e o infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 900. Esse tipo de transporte não é crime. Trata-se somente de infração administrativa.

A terceira fiscalização fluvial ocorreu no rio Sucuriú, nas proximidades de uma região conhecida como Rancho do Gretel. Os policiais militares ambientais de Três Lagoas autuaram três pescadores, de 33, 46 e 61 anos, que pescavam com redes, que são proibidas.

Os suspeitos foram flagrados no momento que armavam duas redes de pesca (petrecho ilegal), medindo 900 metros no rio. Os pescadores iniciavam a pescaria e não tiveram tempo de capturar nenhum pescado. Um barco, um motor de popa e as redes foram apreendidos.

O trio foi autuado por crime ambiental de pesca predatória. A pena é de um a três anos de detenção. Eles também autuados administrativamente e multados em R$ 2.900,00 cada um.

Atualizada para acréscimo de informação*



O valor das multas aplicadas pela PMA, é irrisório, se comparado a gravidade do delito. Um vagabundo que arma 900 M de rede, teria que pagar muito mais que R$ 2.900,00. Tem que doer no bolso.
 
Municipe em 22/04/2019 14:42:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions