A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/01/2016 18:07

Mato Grosso do Sul é o 8º no ranking da epidemia de dengue no Brasil

Alan Diógenes
Larvas do mosquito transmissor em recipiente com água parada. (Foto: Campo Grande News)Larvas do mosquito transmissor em recipiente com água parada. (Foto: Campo Grande News)

Levantamento do Ministério da Saúde, divulgado nesta sexta-feira (15), mostra que Mato Grosso do Sul é o oitavo estado brasileiro com maior número de casos confirmados de dengue. O balanço levou em conta os números de 2015 em relação aos registros de doentes em estado de alerta, ou seja, aqueles em observação e cujo quadro pode se agravar.

Os dados mostram que no ano passado foram registrados 220 pacientes com dengue em sinal de alerta; 228,3% a mais se comparado ao ano de 2014, que teve 67 casos confirmados. O número de pessoas com dengue grave também aumentou de 4, em 2014, para 11 no ano passado. Os óbitos causados pela doença também aumentaram de 4 para 15.

O Estado só fica atrás do Rio de Janeiro, que está em sétimo lugar com 340 casos confirmados; Paraná, em sexto lugar com 393; Espírito Santo, em quinto com 602; Ceará, em quarto com 664; Minas Gerais, em terceiro com 984; Goiás, em segundo com 3.287 e São Paulo na primeira posição com 13.074 casos confirmados de dengue.

Os casos suspeitos de dengue também aumentaram de 3.363, em 2014, para 27.989, em 2015, ou seja, um aumento de 732,2%. A incidência de casos a cada 100 mil habitantes também subiu de 128,4 para 1.068,4.

Em 2015, foram registrados 1.649.008 casos prováveis de dengue em todo o país. O Centro-Oeste aparece com 13,4% destes casos, ou seja, 220.966 casos suspeitos. Em relação a chikungunya, foram registrados 20.661 casos em todo no país.

Já em relação ao zika vírus, até o dia 9 de janeiro deste ano foram registrados 3.530 casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus em todo o país. Também estão em investigação 46 óbitos de bebês com microcefalia possivelmente relacionados ao vírus zika, todos na região Nordeste.

O estado de Pernambuco, o primeiro a identificar aumento de microcefalia, continua com o maior número de casos suspeitos (1.236), o que representa 35% do total registrado em todo o país. Em seguida, estão os estados da Paraíba (569), Bahia (450), Ceará (192), Rio Grande do Norte (181), Sergipe (155), Alagoas (149), Mato Grosso (129) e Rio de Janeiro (122).

Para zerar estes números, a presidenta Dilma Rousseff (PT) sancionou, nesta sexta-feira (15), recurso de R$ 1,27 bilhão para o desenvolvimento das ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, para todos os estados brasileiros. A este montante será adicionado R$ 600 milhões destinados à Assistência Financeira Complementar da União para os Agentes de Combate às Endemias.

Para intensificar as ações e medidas de vigilância, prevenção e controle da dengue, febre chikungunya e zika também foi aprovado R$ 500 milhões extras, sobretudo, por conta da situação de emergência em saúde pública de importância nacional que o país vive. Foi destinado aos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, o montante de R$ 1.989.718,41 de recursos extras paras estes fins.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions