ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Ministro promete dobrar investimentos em monitoramento na fronteira de MS

Raul Jungmann afirmou que Sisfron é estratégico para o país, por isso merece maiores investimentos

Luana Rodrigues e Helio de Freitas | 19/01/2017 18:45
Ministro da Defesa Raul Jungmann, em visita à instalações do sistema de monitoramento em Dourados. (Foto: Helio de Freitas)
Ministro da Defesa Raul Jungmann, em visita à instalações do sistema de monitoramento em Dourados. (Foto: Helio de Freitas)

Em visita a Brigada Guaicurus, em Dourados - distante 233 quilômetros de Campo Grande - na tarde desta quinta-feira (19), o ministro da Defesa Raul Jungmann, afirmou que o Governo Federal irá dobrar os investimentos a serem empregados no Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira) em 2017.

De acordo com Jungmann, a previsão é de que sejam investidos R$ 470 milhões no sistema neste ano. “Defender a fronteira é ter soberania e integridade, por isso, o Sisfron é um sistema estratégico no país. Através da segurança na fronteira, vamos conseguir reduzir o crime e a violência”, considera o ministro.

Projetado para os 17 mil quilômetros da fronteira brasileira, o Sisfron começou a ser implantado em 2012 e o projeto-piloto funciona desde 2014 em Mato Grosso do Sul. O sistema deveria receber R$ 1 bilhão por ano, pelo prazo de 11 anos, mas o programa sofre com o contingenciamento de recursos, adotado ainda em 2014.

"O Sisfron sentiu os efeitos da grave crise econômica deixada pelo governo anterior. Mas, agora vamos dobrar os investimentos", justificou o ministro.

Durante a visita, um rpresentante do exército apresentou ao ministro um relato das operações previstas para 2017, inclusive as que devem ocorrer em conjunto com o Paraguai e a Bolívia, além de um projeto integral do Sisfron.

Além das apresentações, Jungmann acompanhou em tempo real uma barreira do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e da Receita Federal, no posto Capeí, localizado na BR-163, em Ponta Porã - a 80 km de Dourados.

O ministro também falou sobre a presença das Forças Armadas na fronteira de Mato Grosso do Sul. Conforme Jungmann, "quando houver determinação e recurso, o exército estará pronto para atender determinação e ocupar as fronteiras."

Sobre a intervenção das Forças Armadas na situação caótica dos presídios do país, o ministro voltou a reforçar que nenhum militar terá acesso aos presos e que as operações nas penitenciárias só irão começar no prazo de dez dias.

Nos siga no Google Notícias