ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  08    CAMPO GRANDE 20º

De olho na TV

Maitê Proença recebe Bolsa Família. E critica programa do PT

Por Reinaldo Rosa | 06/01/2014 09:25

CORUMBÁ EM REVISTA – TVMS faz bom uso de suas sedes no interior de MS. Colocar no ar produção totalmente focada no dia a dia de Corumbá recebe aprovação total. Sob comando de André Navarro –ex- TV Morena-, a Cidade Branca tem editoria jornalística de real interesse, não só à população local, como habitantes do Estado e grande número de turistas.

APRENDENDO – O Vivendo a Vida é exemplo de registro de diferencial existente entre diversas comunidades que habitam o Mato Grosso do Sul. Como resultado da implantação de um dos Comandos da Marinha, o hábito de vida de cariocas sempre se fez presente em Corumbá e, claro, times do Rio de Janeiro têm mais torcedores do que equipes paulistas, por exemplo.

ESCOLA A rede comandada por Ulisses Serra Neto com esta produção regionalizada certamente, com o tempo, dará oportunidade de emprego a novos jornalistas que surgem do mercado. O bom desempenho de André Navarro não exime de ‘dividir a banca’ do programa com futuros parceiros do ramo.

TÁ CHEGANDO A HORA – A fase de vacas magras para o rádio jornalismo está prestes a terminar. Mesmo com a vida e os fatos que não param, os principais informativos radiofônicos terão maior editoria com a volta das férias de seus titulares.

BEM NO MEIO – O informativo Capital Meio Dia, na FM Capital, é prova de que o rádio jornalismo pode – e deveria - ocupar maior espaço nas emissoras do Estado. Enquanto informativos da manhã focam a realidade do dia anterior – com comentários improvisados -, acontecimentos recentes proporcionam ótima editoria para atrações do ramo durante o dia. Público interessado existe.

CURTINDO – Graças a posts – sempre qualificados - do arquiteto Caio Nogueira, surgiu matéria da Revista Época daquele tipo que prova que nossos ídolos não são mais os mesmos. Maitê Proença no papel de atriz e escritora, fez parte da bancada do Saia Justa, na TV por assinatura da rede Globo. Com reconhecida inteligência deitava falação sobre vários temas do cotidiano nacional. Um dos favoritos era desqualificar o Bolsa Família, programa do governo federal.

LIVE ME A LONE – Esclarecida, engajada e bem resolvida, a atriz e apresentadora cantava em prosa e verso as delícias de curtir um casamento sem, necessariamente, colocar a união no papel. Pura demonstração de coerência (dela para com ela mesma) de sua Dolce Vita. Segundo a revista “Maitê recebe desde 1989 uma pensão mensal vitalícia de "míseros" 13 mil reais. Motivo? Ser filha solteira de procurador de justiça falecido”.

DÁ OU DESCE – Em caso de oficializar união estável (no cartório e religioso como manda a santa Igreja) a bela dona da rede Globo perde direito ao benefício. Então, pra quê casar, né? Fora do ar na emissora, ou sem blábláblás politicamente corretos – para ela - Maitê tem como aumentar suas economias graças a um carcomido sistema que rege a tal previdência nacional. Simples assim.

NÃO ESTÁ SÓ – Segundo a mesma reportagem da revista, há casos semelhantes envolvendo outras dondocas fluminenses. Existe uma dentista que, pelas mesmas razões de Maitê - garante ser filha solteira de desembargador falecido e, os quatro filhos são de aventuras ocasionais ‘com o vizinho e não fruto de união estável’. Apesar das fotos do casamento dela com o ‘vizinho’. Continua embolsando 43 mil mensais pela Rioprevidência. Brazil zil zil zil.