A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


11/02/2015 10:46

A economia da redundância

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Pagar impostos deveria ser uma troca social em que contribuintes cooperam para que o Estado se organize e, dessa forma, possa promover uma sociedade com serviços adequados à capacidade contributiva de seus cidadãos. O pagamento de impostos só faz sentido, do ponto de vista de quem paga, se o Estado retribuir com serviços públicos minimamente adequados.A reflexão que quero levantar não é sobre ausência e ineficiência de serviços públicos – disso todos já estão cientes. O problema é quanto custa para a economia o esforço para suprir serviços que faltam. Quem paga impostos vive, no Brasil, a economia da redundância.

Quem tem automóvel paga impostos sobre a compra, sobre o combustível, sobre a manutenção e também sobre a propriedade (o IPVA). Em troca, o Estado deveria prover transportes públicos para quem não tem automóvel e também condições viárias adequadas para quem contribui. Mas a realidade é que os donos de automóvel são obrigados a gastar mais com reparos de danos causados por vias mal pavimentadas, ou por uso de combustível adulterado e não fiscalizado, ou pelo desgaste excessivo causado pelas horas gastas no trânsito mal planejado.

O trânsito que desgasta os automóveis também afeta a saúde, cujos serviços públicos deveriam ser excepcionais diante de nosso nível de arrecadação. A realidade é que quem pode paga planos de saúde caros. Quem não pode perde mais saúde na espera, na ansiedade e no sofrimento. Essa dinâmica reduz ainda mais a produtividade dessas pessoas e sua capacidade de contribuir para a economia.Pagamos caro também para garantir a segurança de nossas moradias e a educação de nossos filhos. Perdemos muito tempo e dinheiro para driblar a burocracia insana dos serviços públicos. Tudo isso ocorre no âmbito das famílias.

Na realidade empresarial, temos o trabalhador que custa para a empresa o dobro do que ele recebe, os gastos com segurança que o Estado não garante, o alto custo da logística feita em vias mal planejadas e o preço para se adequar ou para driblar a fiscalização corrupta.A ineficiência do Estado em transformar em serviços o que arrecada nos obriga a pagar por tudo em dobro. Pagar por uma educação que já foi paga, custear bens que se depreciam pela má gestão pública e gastar em dobro com a saúde torna nossas empresas e nosso trabalho menos competitivos. Encarece o que já é caro e joga pelo ralo o discurso de que o país está evoluindo. Estamos em alta velocidade na contramão do desenvolvimento. É possível mudar com investimento maciço em educação, planejamento e eficiência. A questão é: há interesse em mudar?

Fonte: maisdinheiro.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.*Deseja mais informações ou ainda ampliar seus conhecimentos em investimentos. Acesse o site: www.opatriarca.com.br, ou ligue no Tel: (67) 3306 - 3613 e solicite á visita de um de nossos consultores certificados pela CVM.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen, criador do portal www.mayel.com.br

 

Acredite: existe um lado bom em ser demitido
Você trabalha em uma empresa e repentinamente é demitido. De primeira, você fica aborrecido. Em vários casos, fica até mesmo revoltado. Mas como você...
4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions