ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 29º

Economia

Comércio gerou 230 vagas, mas Serviços demitiu 800 em novembro

Por Ricardo Campos Jr. | 02/01/2017 11:38
Setor de comércio acumula saldo negativo de 1.140 vagas de emprego nos onze meses (Foto: Fernando Antunes)
Setor de comércio acumula saldo negativo de 1.140 vagas de emprego nos onze meses (Foto: Fernando Antunes)

Após dois meses de recuperação, o setor de serviços apresentou saldo negativo de 833 vagas de emprego em novembro, queda recorde na diferença entre contratações e demissões em 2016 para o ramo. O dado foi divulgado na semana passada pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho.

O resultado foi puxado pelo desempenho das empresas de transporte e comunicações, que mandaram embora 1.081 funcionários no penúltimo mês do ano e contrataram 751 novos trabalhadores, saldo negativo de 330 postos de trabalho.

Companhias de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação demitiram 2.438 pessoas em novembro, maior índice entre as empresas do setor de serviços. O número de contratações no ramo, entretanto, fechou em 2.359, que gera saldo negativo de apenas 79 vagas de emprego.

De janeiro a novembro de 2016, serviços acumula saldo positivo de 1.213 postos de trabalho, com 74.459 contratações e 73.246 demissões.

O setor teve bom desempenho em janeiro (191), fevereiro (787), março (787), abril (787), setembro (228) e outubro (232); tendo saldo negativo somente em quatro meses: maio (-384), junho (-181), julho (-542) e agosto (-197).

Por outro lado, o setor de comércio acumula saldo negativo de 1.140 vagas de emprego nos onze meses, embora tenha melhorado o desempenho desde o mês de agosto.

Em novembro, o ramo teve saldo positivo de 230 vagas de trabalho, possivelmente em razão da contratação de trabalhadores temporários para as vendas de fim de ano, já que o resultado foi influenciado pela contratação de 4.453 pessoas nas empresas varejistas, ao passo que os estabelecimentos que trabalham com atacado apresentaram mais demissões que admissões e tiveram saldo negativo de 17 postos de trabalho.

Isso pode influenciar em redução nos dados de dezembro, já que a maioria desses trabalhadores não têm os contratos efetivados após o período.

No acumulado de 2016, comércio começou a se recuperar em agosto após um primeiro semestre somente de resultados negativos. No oitavo mês, houve saldo positivo de 65 vagas, seguido por 307 em setembro (recorde do ano).