A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

19/09/2016 19:32

No 3º lugar com mais medalhas, MS leva ‘o bronze’ no ranking dos Estados

Uma dezena de paratletas daqui foram enviados para a Rio 2016 e nove foram vitoriosos

Anahi Zurutuza
O voo de Ricardo para o ouro (Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br)O voo de Ricardo para o ouro (Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br)
Silvânia quando venceu competição de salto em distância para cegos oito dias depois do irmão (Foto: Danilo Borges/Brasil2016.gov.br)Silvânia quando venceu competição de salto em distância para cegos oito dias depois do irmão (Foto: Danilo Borges/Brasil2016.gov.br)

Dos 14 paratletas de Mato Grosso do Sul enviou para a Rio 2016, nove conquistaram medalhas, sendo duas de ouro. Os vencedores colocaram o Estado no terceiro lugar no ranking das unidades da federação com maior número de vitórias.

Mato Grosso do Sul empatou com o Rio Grande do Norte quadro geral de medalhas, mas o Estado ganhou “o bronze” por conta dos dois primeiros lugares.

Quem trouxe o ouro para o Mato Grosso do Sul foi também o primeiro a conquistar o topo do pódio para o Brasil na competição de salto em distância. O voo no escuro de Ricardo Costa de Oliveira para a vitória foi no segundo dia das Paralimpíadas do Rio.

O atleta de Três Lagoas – cidade do leste do Estado a 338 km de Campo Grande – é cego e segundo o Globoesporte.com líder na maior parte do tempo, ele foi ultrapassado pelo americano Lex Gillete no penúltimo salto.

Mas, se concentrou e conseguiu fazer 6.52 metros na tentativa derradeira. Ruslan Katyshev, da Ucrânia, ficou com o bronze.

O segundo ouro sul-mato-grossense foi da irmã dele, Silvânia Costa, também cega e que venceu a disputa final feminina de salto em distância. O site oficial da delegação brasileira descreveu a competição do dia 16 de setembro como a “a repetição de um filme”.

“O Engenhão gritando ‘Brasil, Brasil’, a energia crescendo, a pressão imensa no último salto, e a paratleta de Mato Grosso do Sul vence a disputa do salto em distância da classe F11 (cegos totais) da mesma forma que o irmão mais velho há oito dias”, narrou a reportagem do Brasil2016.gov.br.

Recorde nacional – Pelo ranking divulgado no início da noite desta segunda-feira (19) pelo Portal EBC, São Paulo foi o Estado brasileira com mais medalhas – dez ouros e 35 premiações no total. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 21 atletas premiados, sendo dois com a medalha dourada.

O Brasil conquistou nas Paralímpiadas um recorde no número de medalhas, apesar de não ter chegado à meta de ficar entre os cinco primeiros países no quadro geral. Conforme apurou a equipe da Empresa Brasil de Comunicação, foram 72 medalhas em esportes coletivos e individuais, alcançando o número de 136 medalhistas. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions