A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Outubro de 2018

11/10/2018 08:14

Tereza é pitbull que adotou gatinhos e deu até leite para poder alimentá-los

Se a fama da raça é ruim, Tereza prova o contrário e é mais humana que muita gente

Thaís Pimenta
Tereza adotou quatro gatinhos como seus e, de tanto amor, passou a dar leite mesmo sem estar prenha. (Foto: Thaís Pimenta)Tereza adotou quatro gatinhos como seus e, de tanto amor, passou a dar leite mesmo sem estar prenha. (Foto: Thaís Pimenta)

A história é curiosa. Tereza, uma pitbull de 3 anos, mesmo sem estar prenhe, passou a amamentar quatro filhotes de gatinhos, que haviam sido resgatados por sua "mãe" humana, a empresária Clariana de Andrade Miranda, de 31 anos. 

Se a raça é conhecida por ser violenta, o comportamento de Tereza prova o contrário. No tato com os pequenos filhotes, que chegaram na família com menos de 1 mês, ela age como se os felinos fossem seus próprios filhos. E olhando de longe dá até para confundir realmente, visto que todos são pretinhos como a cachorra.

Tereza se dá  bem com todos, inclusive com os filhos de Clariana. (Foto: Thaís Pimenta)Tereza se dá bem com todos, inclusive com os filhos de Clariana. (Foto: Thaís Pimenta)

Essa conexão começou no dia 13 de setembro, quando Clariana soube que na rua onde mora haviam sido abandonados os animais. "Eles estavam em uma caixa de papelão. Eu sou apaixonada por bicho, e quando os vi tive que resgatá-los. Eles eram tão pequenos que nem tinham aberto os olhos ainda", lembra.

O medo de Tereza não aceitá-los era iminente. Por isso ela foi atrás de procurar qual era a gata que havia parido para tentar devolvê-los a ela. "Falei com meu vizinho e ele me disse que a gata que tinha parido morava na rua. Tentei aproximá-los mas ela rejeitou". O jeito então foi tentar apresentar os gatinhos à pitbull para ver qual reação ela teria, mas Clariana jamais poderia imaginar uma aceitação tão boa. 

"Passei minha mão neles para que ela pudesse sentir o cheiro dos filhotes, foi tranquilo, depois fui colocando cada um próximo ao foucinho para que ela cheirar. Vi que Tereza se manteve tranquila. Pouco a pouco fui colocando os gatinhos próximo a ela para eles terem o calor do contato com outro animal''. Para alimentar os bebês, a família foi atrás de receitas de leite para eles, até que notaram que Tereza tomou a frente da situação quando começou a produzir seu próprio leite para dar aos pequenos adotados.

Eles puxam e mamam em Tereza como se ela fosse uma gata. (Foto: Thaís Pimenta)Eles puxam e mamam em Tereza como se ela fosse uma gata. (Foto: Thaís Pimenta)

Da família improvável, o amor da cadela com os gatinhos expressa que aquele ditado popular ''mãe é quem cria'' vale também dentro do reino animal. ''Nos primeiros dias Tereza queria levantar para ir até o portão olhar o movimento, como sempre fazia, mas ficava emburrada deitada dando mama para eles, e olha que a gente nem precisou fazer mais nada para que a amamentação acontecesse, foi natural''.

Com as tetas cheias de afeto, Clariana e seu esposo, Bruno Graça Novaes, dizem que Tereza nunca apresentou nenhum comportamento agressivo. Apaixonados pelos animais, com várias cacatuas e até mesmo um ouriço-terrestre, o casal não aprova as orelhas cortadas da pitbull. ''Acontece que nós compramos ela com 5 meses e já estava assim, mas é uma maldade com o bichinho''.

Antes de Tereza eles já tiveram outras duas cadelas da raça e sempre foi muito tranquilo, sem nenhum episódio de agressividade. ''Até porque nós somos pais, temos duas crianças, então seria até perigoso. Mas eles rolam com ela na chão, num amor só''. 

Tetinhas começaram a produzir leite para os felinos. (Foto: Thaís Pimenta)Tetinhas começaram a produzir leite para os felinos. (Foto: Thaís Pimenta)
Carinha de mão cansada. (Foto: Thaís Pimenta)Carinha de mão cansada. (Foto: Thaís Pimenta)

É a cadela quem coloca ordem no "mamaço" rotineiro e também quem dá banho nos pequenos. ''Ela já sabe até quando eles estão com fome e deita para eles. Rolam brincadeiras com ela tomando todo cuidado com eles, é um amor mesmo de mãe adotiva''.

Os gatinhos já estão comendo ração mas ainda não largaram o ''tetê'' de Tereza. Quando completarem um mês na casa, serão vermifugados e postos para adoção responsável.

''Tem que ser uma pessoa que cuide muito bem deles, afinal, são os amores da Tereza'', finaliza Clariana, sobre a pitbull mais humana que muita gente.

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.