A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

06/08/2017 18:20

Feirinha ocupa praça aos domingos com produtos 100% artesanais

Com referência ao animal símbolo de MS a Feira Itinerante Tuiuiú, é opção de lazer e consumo consciente nos domingos da Praça do Peixe.

Adriano Fernandes e Guilherme Henri
Movimento pela Feira Tuiuiú, no fim de tarde deste domingo. (Foto: André Bittar) Movimento pela Feira Tuiuiú, no fim de tarde deste domingo. (Foto: André Bittar)

A originalidade é critério obrigatório entre os expositores de uma feirinha charmosa que ocupa as tardes de domingo (06) da Praça do Peixe, no bairro Vilas Boas em Campo Grande.

De ambiente simples a proposta da “Feira Itinerante Tuiuiú” é a comercialização de tudo que é produzido pelos próprios feirantes. Das comidinhas orgânicas, artesanatos, itens de moda até bijuterias.

Iniciativa de uma paulistana, Sandra Padilha, 49 anos, que queria seguir na contramão de outras feiras que ela via pela cidade.

“As feiras de hoje em dia misturam tanto o que é produzido pelos próprios feirantes quanto outros produtos de revenda, por exemplo. Então na nossa feira 100% do que é exposto é produzido por nós mesmos”, comenta a artesã que há 20 anos mora em Campo Grande.

A “Tuiuiú” foi criada há dois anos, sendo que por boa parte desse período ela era realizada nas sextas-feiras da concha acústica , no Parque das Nações Indígenas.

Peças produzidas pelo casal de argentinos de passagem pela Capital. (Foto: André Bittar) Peças produzidas pelo casal de argentinos de passagem pela Capital. (Foto: André Bittar)
Artesão faz cestos e até abajur com cascas de bambu. (Foto: André Bittar) Artesão faz cestos e até abajur com cascas de bambu. (Foto: André Bittar)

“Mas vamos onde nos convidarem. Decidimos mudar o ponto fixo para a Praça do Peixe por ser a mais completa da cidade e também pelo maior movimento das famílias aos domingos”, conta.

Participam cerca de 30 feirantes e, dentre eles a carioca Cris Copeli, 61 anos, que resolveu dar uma nova "cara" para as cangas trazidas por ela, diretamente do Rio de Janeiro.

A empresária deu asas a criatividade para lançar a marca “Cris Carioca” e fazer do item obrigatório no verão do litoral, muito mais que um acessório. “Trago as cangas do Rio e customizo. Faço saias, calças, bolsas. Opção que até então não era muito explorada pela Capital e que está me proporcionando um bom retorno financeiro”, comenta.

As peças variam de R$ 70,00 até R$ 120,00.

Sérgio, Ana e a cadelinha Cúmia durante a exposição dos produtos que vendem na feira. (Foto: André Bittar) Sérgio, Ana e a cadelinha Cúmia durante a exposição dos produtos que vendem na feira. (Foto: André Bittar)

Há apenas um mês em Campo Grande, enquanto viajam por toda a América Latina em uma Kombi, o casal de argentinos Sergio Penela, 38 anos, e Ana Frigiotti, 36, viram na feira uma oportunidade da renda extra, necessária para o projeto.

Os dois vendem pulseiras, correntes e brincos tendo como matéria prima sementes, penas de aves e linhas coloridas.

“Contribuímos com um pouco do traço cultural da argentina. Já participamos de várias outras feiras mas essa em especial, estamos adorando”, comentam ao lado da companheira inseparável do casal, a cadelinha Cúmia.

As três mães durante piquenique com os filhos, esta tarde (06), pela feirinha. (Foto: André Bittar) As três mães durante piquenique com os filhos, esta tarde (06), pela feirinha. (Foto: André Bittar)

A proposta intimista da Feira Tuiuiú, de fato, combina com o ambiente da Praça do Peixe, pomposa pelas quadras de esporte, parquinho, e dentre outras opções de lazer para família e meninada. Além de ser cercada por área residencial e o Corredor Gastronômico da cidade, a Avenida Bom Pastor.

Esta tarde o local estava lotado por clientes ou por quem passeava por ali e aproveitou para dar uma conferida nos produtos da feira. Uma boa opção de lazer para quem busca uma Capital mais variada em termos de lazer e consumo.

“Essa proposta da feira é muito bacana e ‘casou’ certinho com a praça”, comentou a comerciante Juliana Souto Maior, de 33 anos. Junto das amigas Ana Claudia Nogueira, 34 anos, e Adriana Regina Barizon Bacarin, 42, o local virou ponto de encontro para o piquenique entre as mães e os filhos.

“Trouxemos nossos filhos para eles poderem curtir um pouco desse lazer longe da tecnologia. Na nossa época era comum ir para as praças, brincar e isso está se perdendo. Trazer eles para esse ambiente, além de muito saudável ajuda na educação dos nossos filhos”, comentou.

A “Feira Itinerante Tuiuiú” funciona todos os domingos pelo local, do início da tarde ao comecinho da noite.

Clientes lotando a calçada da Praça do Peixe, no Vilas Boas. (Foto: André Bittar) Clientes lotando a calçada da Praça do Peixe, no Vilas Boas. (Foto: André Bittar)



imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.