ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 25º

Meio Ambiente

Incêndios no Pantanal reduzem, mas MS se prepara para meses mais secos

Segundo o próprio governo, houve redução de 87% no número de focos de calor no bioma

Por Guilherme Correia | 24/06/2021 09:45
Propriedade rural foi queimada nas beiras do Rio Taquari (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Propriedade rural foi queimada nas beiras do Rio Taquari (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) indicam que o número de focos de calor registrados em Mato Grosso do Sul entre janeiro e meados deste mês no Pantanal sul-mato-grossense foi 87% menor em relação ao mesmo período do ano passado.

Além disso, segundo informações do próprio órgão de monitoramento ambiental, o bioma teve 245 focos de incêndio neste ano, enquanto no mesmo recorte temporal, em 2020, foram 1.975.

Mesmo com o bom desempenho, destacado em reunião do Cicoe (Centro Integrado de Coordenação Estadual) nesta quarta-feira (24), o governo do Estado já pretende fazer ações de conscientização para dar conta do volume de incêndios que pode acontecer neste ano, sobretudo nos meses mais secos.

Conforme previsão feita pelo Cemtec (Centro Estadual de Monitoramento do Tempo e do Clima), o volume de chuvas em Mato Grosso do Sul durante julho, agosto e setembro será cerca de 50% abaixo do que é esperado para o período.

Para o titular da Semagro (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, o Estado está preparado para lidar com tais questões ambientais. "Temos uma integração de todas as forças, temos a disponibilização de recursos para o combate e a disposição da coordenação do Corpo de Bombeiros para que eles possam atuar no combate direto e intensivo”.

Reunião feita por diversos órgãos estaduais para se preparar contra incêndios no Pantanal (Foto: Reprodução/Governo estadual)
Reunião feita por diversos órgãos estaduais para se preparar contra incêndios no Pantanal (Foto: Reprodução/Governo estadual)

O governo estadual aposta na militarização para o "combate aos incêndios florestais", por meio da compra de equipamentos que devem totalizar R$ 56,6 milhões.

Ainda assim, foi ressaltado em publicação oficial que há estratégias para prevenção, através de levantamentos e orientações a proprietários rurais em parques estaduais de conservação - o das Várzeas do Rio Ivinhema, das Nascentes do Rio Taquari, do Pantanal do Rio Negro, além da Estrada Parque Pantanal.

Apesar disso, no final da reunião, Verruck comentou que poderá haver necessidade de ser decretado estado de emergência em alguns municípios, junto a Defesa Civil, para facilitar "em termos de obtenção de recurso".

Iremos fazer uma ação muito intensa de conscientização da população, pois estamos em um momento crítico devido à crise hídrica. Temos uma anomalia climática presente e isso vai exigir de todos nós uma ação muito forte”, finalizou.

A reunião teve representantes da Semagro, Corpo de Bombeiros Militar, Imasul, Defesa Civil, Cemtec, Polícia Militar Ambiental, Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) e Segov (Secretaria Estadual de Governo e Gestão Estratégica).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário