ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 17º

Política

“Não há condições impostas para o PSDB me apoiar”, garante Simone Tebet

Senadora negou que os tucanos tenham pedido a retirada de candidaturas do MDB nos estados

Por Ângela Kempfer e Caroline Maldonado | 26/05/2022 17:22
Simone durante reunião com parlamentares de países da Rota Bioceânica. (Foto: Kisie Ainoã)
Simone durante reunião com parlamentares de países da Rota Bioceânica. (Foto: Kisie Ainoã)

A pré-candidata do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) à presidência da República, senadora Simone Tebet, garante que o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) não impôs condições para apoiá-la na luta pelo Planalto.

Segundo ela, é falsa a informação de que os tucanos só ficariam ao lado do MDB caso desistissem de candidaturas próprias aos governos nos Estados. Isso significaria a desistência do ex-governador André Puccinelli em Mato Grosso do Sul, por exemplo, o que, de acordo com Simone, “nunca foi cogitado” como condição para o apoio.

A senadora sul-mato-grossense confirma que conversou com o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, sobre o cenário nos Estados, mas sem imposições. “Teve uma conversa por telefone. Ele me perguntou e eu disse que em MS é impossível, pois o MDB vai ter candidatura própria. Ele deu entrevista antes, dizendo sobre as possibilidades em cada Estado, e depois ligou para cada um para começar a desenvolver. Ele disse que escutou todos os Estados para saber se algum poderia abrir mão”.

Simone voltou a manifestar apoio ao ex-governador e colega de partido, André Puccinelli, pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, com um tucano como provável opositor: Eduardo Riedel.

“Meu candidato é o André. Ele está aguardando e eu também estou aguardando. Já participei de cinco eleições e é assim mesmo, essas discussões de pré-candidatura”.

Reunião na próxima terça-feira (31) servirá para bater o martelo sobre a parceria do PSDB nas próximas eleições, diz Simone. “Não são nem três pré-candidatos do MDB ao governo no País, são cinco pré-candidatos na verdade. E isso vai ser discutido na reunião deles, se vão abrir mão ou não”.

Durante Reunião da Frente Parlamentar Internacional do Corredor Bioceânico, nesta tarde, em Campo Grande, a senadora lembrou que já chegou longe.

“Estou nessa caminhada, eram muitos que já ficaram para trás, figuras públicas de muita grandeza como Luciano Huck e o ex-ministro Henrique Mandetta, entre outros. E eu, uma simples cidadã do Estado de Mato Grosso do Sul, cheguei até aqui. Agora, preciso esperar para saber se o apoio do PSDB virá. Quanto ao União Brasil, precisamos esperar que o pré-candidato faça seu trabalho e teremos conversas mais para frente. O que não podemos é oferecer ao Brasil apenas duas opções: passado e presente. Isso não é vida", disse Simone.

Nos siga no Google Notícias