A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Julho de 2018

19/02/2018 14:00

Pelas redes sociais, Fábio Trad antecipa voto favorável à intervenção no Rio

Votação na Câmara Federal será na noite desta segunda-feira em regime de urgência

Osvaldo Júnior
Deputado Fábio Frad, que vai votar a favor da intervenção no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)Deputado Fábio Frad, que vai votar a favor da intervenção no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

O decreto do presidente Michel Temer que determina intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro tem pelo menos um voto favorável da bancada de Mato Grosso do Sul. O deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) usou as redes sociais para antecipar seu voto. A primeira votação, em regime de urgência, ocorre na noite desta segunda-feira (dia 19), às 19h, no horário de Brasília.

“Embora seja uma medida de alto risco, e eu tenho as minhas dúvidas a respeito da sua eficácia, votarei a favor em defesa do Rio de Janeiro e do Brasil, até porque o próprio governo fluminense reconheceu sua incompetência de enfrentar a criminalidade”, argumentou o parlamentar.

Trad considera, ainda, que o crime organizado tem feito do Estado seu principal alvo, "abatendo deliberadamente seus agentes de segurança pública”. “O número de mortes de policiais revela isso. Por esse motivo, a lógica de guerra que mobiliza ideologicamente as forças armadas tem pertinência neste caso. Claro, sempre respeitando os direitos e garantidas individuais de todos”, acrescenta.

O parlamentar disse ainda que o decreto não pode servir de pretexto para o “progressivo sucateamento a que estão submetidas as forças policiais do Rio de Janeiro, constitucionalmente incumbidas de combater a criminalidade”.

Decreto – Caso seja aprovado na Câmara, o decreto segue para apreciação dos senadores. Com eventual aprovação, a segurança pública do Rio de Janeiro sai da esfera estadual e fica sob a responsabilidade de um interventor militar, que responderá diretamente ao presidente Michel Temer. Essa situação se estende, a princípio, até o dia 31 de dezembro de 2018.

A intervenção federal nos estados é prevista na Constituição, mas nunca havia sido adotada. O presidente justificou o uso da medida dizendo ser necessária para "conter grave comprometimento da ordem pública" no Rio de Janeiro. No entanto, ainda não há definição clara de como será essa intervenção.

Os casos de violência ocorridos durante o Carnaval aceleraram a decisão do governo de intervir na segurança pública fluminense. Entre outras situações, houve tentativa de assalto durante tiroteio na Tijuca, zona norte da cidade. Além disso, um caminhão foi saqueado na mesma região. Na Baixada Fluminense, uma agência bancária foi explodida. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions