A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

23/09/2015 12:39

PT desiste de “boicote” e indica representante para CPI do Cimi

Leonardo Rocha
Mara Caseiro diz que CPI vai esclarecer e trazer dados sobre denúncia (Foto: Assessoria/ALMS)Mara Caseiro diz que CPI vai esclarecer e trazer dados sobre denúncia (Foto: Assessoria/ALMS)
Kemp vai participar de CPI, para acompanhar a investigação (Foto: Assessoria/ALMS)Kemp vai participar de CPI, para acompanhar a investigação (Foto: Assessoria/ALMS)

A bancada do PT desistiu de promover um “boicote” a CPI contra o Cimi (Conselho Missionário Indigenista), indicando o deputado Pedro Kemp (PT) para compor o grupo de trabalho. Eles pretendem acompanhar de forma ativa a investigação, Com isto, resta apenas o PMDB decidir quem vai representá-los na comissão parlamentar.

Como ainda o grupo não está completo, tendo até o momento os deputados Beto Pereira (PDT), Mara Caseiro ( PT do B), Onevan de Matos (PSDB) e Pedro Kemp (PT), a comissão ainda não pode marcar uma reunião para definir o presidente e relator, e assim definir o cronograma de atividades da investigação.

O líder do PMDB, o deputado Eduardo Rocha, ressaltou que falta se reunir com sua bancada para decidir o quinto integrante, mas que não pode fazer hoje (23), porque teve a ausência da deputada Antonieta Amorim (PMDB). “Enquanto não consultar a todos, não podemos indicar”.

Debate – Os deputados continuaram com os ânimos exaltados e com debates acirrados sobre o tema. Pedro Kemp (PT) ressaltou que o partido resolveu participar, para acompanhar todas as ações, mesmo ainda defendendo que o requerimento de criação da CPI esteja irregular.

“Nós continuamos a dizer que se trata de um fato genérico, que ainda tem um pré-julgamento, que quer investigar esta entidade que ajuda os indígenas, mas se silencia sobre a morte dos índios, uma CPI com cunho político e ideológico, não vai contribuir em nada, apenas acirrar os ânimos”.

A deputada Mara Caseiro (Pt do B), proponente da CPI, disse que nesta investigação se poderá ter conhecimento sobre quem promove estas invasões, dizendo que até em notas publicadas pelo Cimi, se alimenta o ódio a produtores e ainda cita moratória, enquanto não se demarcar as terras indígenas.

O petista retrucou ao dizer que no relatório apresentado, aparece nomes de indígenas que não pertencem ao Cimi e que índios estão sendo assassinados, sem que se faça nada sobre isto. “Índio é tratado como indigente, como se não fosse gente, não é nada, citam apenas que morreu uma vaca”.

Mara ainda argumentou que se sensibiliza com esta situação, mas que a CPI vai trazer dados importantes sobre esta questão. “Não quero que ninguém que seja morto ou massa de manobram, mas podemos ver nas publicações que o Cimi faz apologia ao crime e conflito no campo”.

Para Zé Teixeira (DEM) se o Cimi não tem culpa alguma sobre estas denúncias, não tem porque temer a CPI, mas lembrou que existe recurso internacional vindo para as contas da entidade, que precisam ser apurados.



Todo apoio a Deputada Mara Caseiro que com a cpi do Cimi pretende esclarecer quem promove o conflito no campo.
 
monica em 23/09/2015 14:01:26
É isto aí. Depois da Lama Asfáltica demonstrar indícios de que dinheiro público foi pelo ralo e a AL não fazer nenhuma CPI, vem agora doma Mara Caseiro investigar a Igreja Católica. Abuso.
 
jmarch em 23/09/2015 13:24:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions