A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019

31/05/2019 15:19

Reinaldo defende “unidade” no PSDB e apoio a reforma na previdência

Em discurso na posse de novo presidente nacional tucano, governador afirma que mudança ajudará na melhor distribuição de riquezas

Humberto Marques
Reinaldo, durante pronunciamento na convenção do PSDB, pregou união do partido para o atual momento do país. (Foto: Reprodução)Reinaldo, durante pronunciamento na convenção do PSDB, pregou união do partido para o atual momento do país. (Foto: Reprodução)

Em evento que marcou a eleição do ex-ministro Bruno Araújo (PE) para presidente nacional do PSDB, o governador Reinaldo Azambuja defendeu, em discurso, a unidade do partido a fim de defender pautas cobradas pela população. Durante o pronunciamento, realizado nesta sexta-feira (31) durante a 15ª convenção nacional do partido em Brasília, o chefe do Executivo estadual destacou que essa premissa deve estar acima da “adesão” a governos e afirmou, ainda, que a reforma da previdência é necessária para uma melhor distribuição de riquezas entre a população.

“Temos o dever de nos unir em benefício do país. Não do partido. Temos um partido, somos filiados a um partido, mas governamos para as pessoas, para o cidadão mais pobre, que precisa de políticas públicas em saúde, segurança, educação”, afirmou Reinaldo. “Esse é o novo PSDB que vamos construir: olhando para o que o país precisa avançar”.

O governador sul-mato-grossense sustentou que, nesta análise, “não tem de fazer adesão ao ‘governo A’, ‘governo B’ ou ‘governo C’”. “Temos de olhar as causas que o povo brasileiros nos impôs e que são prioritárias”, destacou Reinaldo, apontando o combate ao desemprego como uma das prioridades e que depende de novos investimentos.

Estes, por sua vez, virão se o empresariado perceber que “somos um país que se governa com responsabilidade e cuida das questões fiscais. E deixar a previdência como está é um prejuízo para todos os brasileiros e brasileiras”, salientou o governador, ao defender em sua fala que o PSDB assuma “posição em defesa de reformar a previdência para distribuirmos melhor as riquezas e tratarmos das pautas essenciais”.

O governo de Mato Grosso do Sul foi um dos primeiros do país a, ainda em 2017, aprovar a reforma da previdência do funcionalismo estadual, sob a alegação de dar sustentabilidade financeira ao sistema e se alinhar ao movimento iniciado pelo governo federal –cujo regime geral, como alegado, registra déficits constantes. Nesta semana, o Estado aderiu ao Prevcom, o regime de previdência complementar criado pelo Estado de São Paulo e que visa a garantir aposentadorias aos servidores acima do teto do INSS.

“Questão” – Ex-ministro das Cidades e ex-deputado federal, Bruno Araújo é ligado ao grupo do governador paulista João Dória e integra a ala apelidada de “cabeças pretas” do PSDB –em contraponto às lideranças mais antigas, os “cabeças brancas”–, composta por filiados mais jovens. Durante o evento, ele confirmou que a reforma da previdência será um dos “compromissos firmes” a serem discutidos internamente.

A intenção, segundo Araújo, é fazer com que o PSDB analise a possibilidade de fechar questão sobre a reforma, o que implicaria em uma posição conjunta da bancada no Congresso sobre o projeto. Neste caso, parlamentares que não seguirem a orientação da legenda estarão sujeitos a penalidades.

Além de Araújo, o PSDB elegeu os integrantes de sua nova cúpula, que terão mandato de dois anos. O deputado federal Beto Pereira, ex-presidente do partido no Estado, integra a chapa como secretário-geral da Executiva nacional. “O PSDB é um partido que está buscando firmar seu espaço como uma agremiação independente, mas que está atento a todas as pautas nacionais que trazem benefícios ao Brasil e aos brasileiros”, afirmou o parlamentar.

O PSDB conta, hoje, com 8 senadores, 30 deputados federais e 3 governadores.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions