A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

07/10/2016 16:53

Vereador cassado é absolvido no TRE, mas decisão não garante retorno à Câmara

Paulo Pedra foi inocentado na esfera criminal e cancelamento da cassação de direitos políticos depende do TSE

Mayara Bueno
Paulo Pedra, vereador cassado por compra de votos, em 2015. (Foto: Fernando Antunes)Paulo Pedra, vereador cassado por compra de votos, em 2015. (Foto: Fernando Antunes)

O ex-vereador Paulo Pedra (PDT), cassado em novembro passado acusado de comprar votos na eleição de 2012, foi inocentado do crime na terça-feira (11). A decisão do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral em Mato Grosso do Sul) não reverte à cassação dos direitos políticos, nem autoriza o retorno à Câmara Municipal.

É que ele foi inocentado na esfera criminal e agora busca a absolvição também na área civil, esta sim que pode permitir o cancelamento da cassação dos direitos políticos. O ex-vereador afirma que já entrou com recurso sobre isso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). "Agora é aguardar. Como demora para analisar, eu não devo voltar à Câmara, já que meu mandato terminaria no fim de 2016".

Por unanimidade, o TRE entendeu que não havia provas suficientes para condená-lo pelo crime eleitoral de compra de votos. A ideia, se o TSE acatar seu recurso, é tentar a eleição para deputado estadual, em 2018.

Nesta eleição, quando não havia ainda decisão favorável, o vereador cassado tentou disputar novamente, mas, neste caso, o próprio partido vetou sua candidatura. Pedra também foi secretário de Governo do prefeito Alcides Bernal (PP), quando ele retornou ao Paço Municipal, em agosto passado. 

Além dele, Delei Pinheiro (PSD) e Thaís Helena (PT) foram cassados no mesmo período, também acusados de cometerem crimes eleitorais na campanha de 2012. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions