A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/09/2015 18:37

Integrar lavoura, pecuária e floresta, é maneira de controlar mudança climática

Renata Volpe Haddad
Pesquisadores participaram do painel sobre climatologia. (Foto: Famasul/Divulgação)Pesquisadores participaram do painel sobre climatologia. (Foto: Famasul/Divulgação)

A mudança climática não é a vilã da agricultura. É o que afirma o pesquisador da Embrapa, Eduardo Delgado Assad, no painel com o tema Climatologia – Incertezas e Mudanças Climáticas na Agricultura na tarde de hoje, durante a Bienal dos Negócios da Agricultura Brasil Central.

O pesquisador explica que o sistema ILPF (Integração Lavoura, Pecuária e Floresta) é a principal forma de reduzir os impactos causados pelas mudanças climáticas. "A alternativa do uso do sistema de integração, já é praticada pelos produtores no Centro-Oeste, e é a solução para evitar prejuízos na produção", comentou.

Integração entre lavoura, pecuária e floresta, é a principal forma de reduzir a emissão do gás carbônico e diversificar a produção agropecuária. “É preciso transformar os efeitos do aquecimento global em desafio, inovação e oportunidade de mercado. Nunca vi um supermercado que tenha apenas um produto na gôndola. A variedade é necessária em qualquer setor ”, ressalta

Marcos Heil Costa, também pesquisador da Embrapa, comentou sobre as incertezas climáticas para os próximos anos."A única certeza é que nos próximos anos, os termômetros marcarão até 2° Celsius a mais e com isso teremos noites mais quentes que os dias, e as chuvas serão mais constantes e intensas, ocasionando mais erosões, e exigindo do produtor, adaptação ao clima”, analisou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions