A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Novembro de 2018

17/11/2013 09:04

Pedagogia da leitura: mudanças de paradigma em foco

Silvio Profirio da Silva

 

Consoante Albuquerque (2006) e Barbosa & Souza (2006), por muito tempo, as práticas pedagógicas do ensino da leitura primaram pela Decodificação, aderindo, assim, à extração e, acima de tudo, à reescrita de conteúdos e informações explícitos nos textos. O ensino da leitura focava, portanto, em Práticas Mecânicas de Reprodução. Havia, ainda, uma prática mencionada por uma vasta quantidade de autores da Linguística Aplicada e da Pedagogia - Albuquerque (2006), Bezerra (2001; 2010), Cardoso (2003), Kleiman (2004), Santos (2002), Santos e tal. (2006), Travaglia (1997) etc. – de O Texto como Pretexto. Este assume, nesta perspectiva, a incumbência de suporte didático, para práticas pedagógicas normativas e prescritivas.

Destaca-se, ainda, o fato de a Diversidade Textual não ser algo presente nas práticas pedagógicas do ensino da leitura. Barbosa & Souza (2006) e Soares (1998) postulam que o texto literário foi, durante décadas, o único gênero textual presente no cenário pedagógico, o que erradicava a presença da variedade textual nos espaços escolares. Tais práticas estiveram presentes no cenário educacional, fazendo com que os discentes não tivessem acesso a múltiplas experiências de leitura e a diversos gêneros textuais.

De acordo com Albuquerque (2006) e Albuquerque e tal. (2008), nos anos de 1980, as discussões acadêmicas tocantes à escolarização leitor expandem-se consideravelmente, acarretando, deste modo, o despontar de novos paradigmas para o ensino desta competência linguística. Os autores mencionados acima citam os postulados pedagógicos [Pedagogia], linguísticos [Linguística], psicológicos [Psicologia], filosóficos [Filosofia] e sociológicos [Sociologia] enquanto proponentes de novos paradigmas para a prática pedagógica do ensino da leitura (ALBUQUERQUE, 2006; ALBUQUERQUE et al, 2008). Ou seja, tais paradigmas acarretam novos modelos atinentes ao ensino desta ferramenta linguística.

Na ótica de Albuquerque (2006), Koch & Elias (2006) e Santos (2002), a leitura vai assumir, a partir deste novo contexto paradigmático,a incumbência de ato de Construção de Sentido. Ato este advindo da articulação/ junção autor e leitor, necessitando, para isto, da mediação do texto. Há, também, nesta perspectiva de leitura, marcas cognitivas, bem como saberes do leitor.

Para Koch & Elias (2006) e Santos (2002), a leitura enquanto elaboração/ produção de sentido se dá mediante ao uso de saberes por parte do leitor – Conhecimento Linguístico, Enciclopédico e Interacional. Atrelado a isto, o leitor faz uso de uma gama de práticas cognitivas, tais como: Antecipação, Dedução, Elaboração/ Formulação de Hipóteses, Inferência, Paráfrase, Seleção etc. (KLEIMAN, 2008; KOCH & ELIAS, 2006).

Destaca-se, também, a inclusão da Diversidade/ Variedade Textual nas práticas pedagógicas do ensino da leitura. O ensino desta ferramenta linguística passa, então, a fazer uso de uma vasta seleção textual, como, por exemplo: Anúncios, Cartas do Leitor, Cartuns, Charges, Cordéis, Fábulas, Gráficos, Histórias em Quadrinhos – HQS, Mapas, Notícias, Propagandas, Receitas, Reportagens, Textos Expositivos Argumentativos, Textos injuntivos, Textos Literários, Tirinhas etc..Tudo isto ocasiona não só novas práticas pedagógicas para o ensino da leitura, mas, sobretudo, modificações na forma como o leitor dá sentido às informações e elabora significação perante o texto.

Silvio Profirio da Silva - Graduando em Licenciatura em Letras

O espaço do negro no mercado de trabalho
É comum as pessoas usarem a seguinte frase: “somos todos iguais e todos temos as mesmas oportunidades.” Depende de como e de que lado você está fazen...
Lina Tâmega Peixoto: uma grande escritora da literatura brasileira
Historicamente, as mulheres presentes na literatura brasileira sempre contribuíram enormemente para a cultura do país. Uma delas é Lina Tâmega Peixot...
Por que o Brasil não está caminhando para a expansão da Internet?
A privatização do Sistema Telebrás, em 1998, foi o embrião para as empresas investirem na universalização das redes de telecomunicação, tornando-se u...
Triste boa notícia
A leitura é um dos maiores prazeres da vida. Mergulhar fundo no mar de palavras de belezas naturais, que ficam maravilhosas quando juntadas com maest...


Um artigo bem escrito assim com um nível intelectual aguçado, todo embasado, só poderia ser escrito por um graduado em Letras. Parabéns!
 
Cris Parron em 17/11/2013 12:45:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions