ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Cidades

Ex-presidente da Aprosoja é investigado por pagar pelo "quebra-quebra" no DF

Ação é contra financiadores dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro contra o prédio dos três Poderes

Por Dayene Paz e Helio de Freitas, de Dourados | 16/04/2024 17:51
Manifestantes quebrando prédio, em Brasília. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Manifestantes quebrando prédio, em Brasília. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O produtor rural e ex-presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) em Amambai, Christiano Bortolotto, foi um dos alvos da Operação Lesa Pátria, deflagrada pela Polícia Federal, nesta terça-feira (16). Se trata de investigação sobre financiadores dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro contra o prédio dos três Poderes, em Brasília (DF).

Bortolotto foi alvo de mandado de busca e apreensão. Ele atuou como presidente da Aprosoja, em Amambai, por dois anos, entre 2015 e 2017. Além disso, também presidiu o Sindicato Rural do município entre os anos de 2006 e 2012. A reportagem tentou contato com o empresário, mas sem sucesso até a publicação deste material.

Christiano Bortolotto durante entrevista (Foto: Famasul/Divulgação)
Christiano Bortolotto durante entrevista (Foto: Famasul/Divulgação)

Segundo a Polícia Federal, em MS havia três ordens judiciais de busca e apreensão a serem cumpridas. Mais cedo, viaturas do órgão foram vistas em frente a um escritório em Santa Rita do Pardo, cidade a 245 km da Capital. O escritório pertence a um produtor rural, que também presidiu um Sindicato Rural, mas o de Santa Rita do Pardo.

Além de Mato Grosso do Sul, estavam na mira da operação: Rio Grande do Norte (1), Santa Catarina (1), Pará (4), São Paulo (1), Minas Gerais (3), Espirito Santo (4) e Tocantins (1). As ações foram autorizadas pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes.

Os fatos investigados constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

Viatura da PF em frente a escritório em Santa Rita do Pardo. (Foto: Cenário MS)
Viatura da PF em frente a escritório em Santa Rita do Pardo. (Foto: Cenário MS)

A Operação Lesa Pátria tem caráter permanente, com objetivo de identificar pessoas que fomentaram, financiaram e promoveram os fatos ocorridos no dia 8 de janeiro de 2023, em Brasília, quando o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o STF foram invadidos por manifestantes que promoveram violência e dano generalizado contra os imóveis, móveis e objetos das instituições.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias