ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  26    CAMPO GRANDE 33º

Capital

"Com medo de morrer", assassino confesso diz ter feito emboscada para amigo

Discussão que motivou crime aconteceu após autor se envolver em briga de relacionamento da vítima

Por Liniker Ribeiro e Geisy Garnes | 10/08/2020 16:48
Luís Ricardo Ferreira dos Santos no local onde vendedor foi assassinado e teve corpo queimado (Foto: Marcos Maluf)
Luís Ricardo Ferreira dos Santos no local onde vendedor foi assassinado e teve corpo queimado (Foto: Marcos Maluf)

Luís Ricardo Ferreira dos Santos, de 35 anos, assassino confesso do vendedor Ricardo Ventura Barbosa, de 38 anos, morava com a vítima e teria preparado emboscada para o amigo após discussão na noite do dia 30 de julho, data em que familiares deixaram de ter notícias sobre Ricardo. Segundo apurado pela reportagem, para pessoas próximas, o autor chegou a dizer ter sentido medo de morrer, após ameaça.

Na região do crime, no Jardim Colibri, região sul de Campo Grande, a notícia de que a vítima teria sido morta a tiros e queimada pelo suspeito já circulava desde a semana passada. Equipes policiais chegaram a fazer buscas nas proximidades da casa de Ricardo, na Rua Michel Calarge, próximo a rua Graça Aranha, mas só na manhã de hoje (10), acompanhados do assassino confesso, é que o corpo da vítima foi localizado.

O Campo Grande News apurou ainda, que a discussão anterior ao crime teria sido motivada após Luís se envolver em briga de um relacionamento mantido por Ricardo Ventura. Segundo relato do autor, após o desentendimento, a vítima teria deixado a residência se comunicando em tom de ameaça.

Ricardo Ventura, de 35 anos, foi encontrado morto na manhã de hoje (Direto das Ruas)
Ricardo Ventura, de 35 anos, foi encontrado morto na manhã de hoje (Direto das Ruas)

Foi aí que Luís Ricardo teria conseguido a arma usada no crime e aguardado o amigo retornar. Os disparos que atingiram Ricardo foram efetuados com a vítima ainda do lado de fora da residência, que correu para o imóvel, onde caiu e morreu.

Ainda segundo apurado pela reportagem, na vizinhança, também se comenta que, mesmo após atirar contra a vítima, o autor arrastou o corpo por pelo menos 30 metros, até área insalubre, com bastante entulhos, onde ateou fogo. Em seguida, o corpo da vítima foi enterrado em cova rasa.

Até o momento, não há informações sobre o paradeiro da arma usada no crime. Após se apresentar na delegacia, acompanhado de advogada, Luís Ricardo deixou o prédio do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada) no início da tarde desta segunda-feira. Por ter se apresentado espontaneamente, ele responderá em liberdade.

A reportagem procurou a Polícia Civil em busca de informações quanto à prisão de Luís Ricardo, que confirmou apenas que o assassino confesso prestou depoimento e que tudo o que foi dito por ele será confrontado com objetivo de saber se ele está ou não falando a verdade. A polícia também irá verificar se suspeito e vítima tinham envolvimento com tráfico de drogas.

Achado - Depois de 10 dias desaparecido, o corpo de Ricardo Ventura Barbosa foi localizado na manhã de hoje. Ele se apresentou acompanhado da advogada Silmara Félix.

Segundo ela, o cliente a procurou nesta segunda-feira, disse que havia cometido um crime e pediu orientação. Foram, então, para a delegacia de Polícia Civil. A versão dele é que matou Ricardo porque estava sob ameaça dele.

No crime, segundo a advogada, ele usou um revolver 32 e disparou seis vezes contra a vítima. Não sabe quantas a atingiram. Na sequencia, queimou o corpo, enterrou à beira do córrego e jogou a arma na mesma região.

Corpo da vítima sendo retirado de área insalubre, onde foi queimado e enterrado (Foto: Marcos Maluf)
Corpo da vítima sendo retirado de área insalubre, onde foi queimado e enterrado (Foto: Marcos Maluf)


Regras de comentário