A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Fevereiro de 2019

12/02/2019 12:02

Com risco estrutural, viaduto da UFMS vai ser monitorado por equipamento

Subsecretário da Sisep esteve no local e confirmou que é necessária fiscalização da estrutura do viaduto

Bruna Kaspary e Kerolyn Araújo
Quase todos os pilares do viaduto da UFMS estão rachados (Foto: Kísie Ainoã)Quase todos os pilares do viaduto da UFMS estão rachados (Foto: Kísie Ainoã)

Depois de flagrar problemas estruturais no viaduto próximo à UFMS, o subsecretário da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Ariel Serra, garantiu que a estrutura será monitorada por equipamentos para avaliar se há movimentação na fundição.

Com rachaduras na base, buracos na alça superior e a armação de ferro visível são apenas alguns dos problemas encontrados no viaduto da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). A passarela recebeu uma “visita” do subsecretário da Sisep na manhã de hoje, que reconheceu que há problemas estruturais no viaduto e por isso terá que ser monitorado.

“Precisa de uma intervenção rápida. O viaduto não vai cair, mas precisa de uma intervenção para evitar outros problemas”, afirma Ariel. Para ele, é necessária a instalação de equipamentos que irão monitorar se há alguma movimentação na estrutura do viaduto.

Ariel Serra identifica problemas na estrutura do viaduto (Foto: Kerolyn Araújo)Ariel Serra identifica problemas na estrutura do viaduto (Foto: Kerolyn Araújo)

O subsecretário confirma que, do mesmo jeito que o problema parece ser grave, pode não se, e somente com esse monitoramento que será possível chegar a essa conclusão. “Pela minha avaliação, não há nada de sério aqui, mas o local vai ser monitorado”, conclui.

Sozinho durante a vistoria, Serra garante que, mesmo sem existir uma força-tarefa para garantir a segurança nesses pontos, os viadutos da capital passam constantemente por um controle da secretaria, que está ciente da situação de cada um deles.

Ele ainda completa dizendo que há a necessidade de fazer reparos no viaduto, mas aparentemente nenhum deles são graves. Serra confirma que será necessário refazer o pavimento na parte de cima do viaduto e que os demais problemas encontrados também serão resolvidos.

Em uma entrevista ao Campo Grande News publicada hoje, o engenheiro e projetista de pontes José Francisco de Lima avaliou a situação do viaduto como “muito grave”, e “deu nota 4” para as condições as quais encontrou a estrutura.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions