ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  29    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Ingazeiro cai sobre casa no Jardim Colúmbia: "medo de desabar", diz morador

Por sorte, o pé de ingá não atingiu os cômodos onde os moradores estavam, mas deixou prejuízos

Por Guilherme Correia e Bruna Marques | 24/10/2021 12:27
Árvore danificou casa e também a calçada da residência. (Foto: Marcos Maluf)
Árvore danificou casa e também a calçada da residência. (Foto: Marcos Maluf)

Um pé de ingá caiu sobre a casa do pintor Claudinei da Silva Gomes, de 43 anos, na Rua Pindaré, no Jardim Colúmbia. Ele relata que a árvore estava lá há 30 anos e que queria removê-la, mas que foi impedido pela Prefeitura de Campo Grande.

O morador estima que o ingazeiro tenha cerca de 15 metros, já que ocupou praticamente toda a largura da fachada, que mede essa dimensão.

Por “sorte”, diz ele, a vegetação atingiu apenas um cômodo na frente da casa, usado como depósito de materiais, e ninguém se feriu. “Na frente da casa, tinha uma peça e a árvore caiu e acertou esse cômodo ontem a noite, durante o temporal. O estrago foi grande, quebrou a raiz e arrancou um pedaço da calçada.”

Árvore destruiu muro, portão e a 'peça' da casa. (Foto: Marcos Maluf)
Árvore destruiu muro, portão e a 'peça' da casa. (Foto: Marcos Maluf)

Claudinei explica que quer alguma orientação sobre o que pode fazer, já que o ingazeiro continua sobre a residência, e que por estar pendurado, pode gerar ainda mais prejuízos. “Ficou presa no tijolo, vai que eu mexo e acontece um acidente. Queria um respaldo, porque estou sem o que fazer e com medo de desabar.”

“Tentei cortar e a prefeitura não deixou, disseram que era catalogada. Olha aí o estrago, quero ver quem vai me ressarcir [...], a gente não podia nem podar ela, mas eu já sabia que uma hora ela ia cair”.

Ele ressalta que acionou o Corpo de Bombeiros Militar e aguarda atendimento. O órgão informou mais cedo, que pelo menos 11 ocorrências foram registradas na Capital. A energia elétrica da casa está oscilando. Procurada, a prefeitura respondeu que, conforme levantamento realizado pelo setor responsável pelos pedidos, não foi encontrado nenhum protocolo formalizado no endereço citado.

"Temos a indicação de formalização de pedidos nesta mesma rua, mas em numerações diferentes", informou.

Leia o resto das orientações e recomendações por parte da prefeitura: "A orientação é que para pedidos de poda ou remoção de árvores, tanto no passeio público como no interior da propriedade, somente o proprietário do imóvel ou um representante com a anuência do proprietário poderá formalizar processo administrativo solicitando a poda ou remoção da árvore".

"Desta forma, o munícipe deve comparecer até a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC), dirigir-se ao Protocolo Geral e solicitar a abertura de processo referente à Poda/Remoção de Árvore. Após a abertura desse processo, o mesmo será encaminhado à Semadur para que o auditor fiscal de meio ambiente realize a fiscalização no local e posteriormente emita um Laudo de Vistoria. Somente após o laudo expedido pelo o munícipe será autorizado ou não a realizar a poda ou remoção da árvore solicitada."

Mais para o fundo da casa, a árvore não chegou a destruir a estrutura. (Foto: Marcos Maluf)
Mais para o fundo da casa, a árvore não chegou a destruir a estrutura. (Foto: Marcos Maluf)

(*) matéria atualizada às 11h46 de 26 de outubro de 2021 para acréscimo de informações por parte da prefeitura de Campo Grande

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário