ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, TERÇA  19    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Motoristas prometem guerra judicial contra limite municipal para Uber

Motoristas cadastrados tentarão derrubar decreto se houver limitação de 200 alvarás na cidade

Por Anahi Gurgel | 21/02/2017 06:23
Aplicativo Uber deve ser regulamentado nesta semana na Capital
Aplicativo Uber deve ser regulamentado nesta semana na Capital

Representantes da recém-criada Applic (Associação dos Parceiros em Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motoristas Profissionais Autônomos), entidade que contempla a categoria que atua por meio do Uber em Campo Grande, garantem que a classe tentará derrubar o decreto municipal que regulamentará a atividade na Capital, caso a Prefeitura limite em 200 o número de alvarás a serem emitidos, como já sinalizou o Prefeito Marquinhos Trad (PSD).

“O decreto representa uma grande conquista para os motoristas e para a população, mas vamos fazer de tudo para derrubá-lo caso a prefeitura permita que apenas 200 motoristas recebam alvarás. Com esse número, é impossível atender a demanda da Capital”, afirma o presidente da entidade, Paulo César Teodoro Pinheiro.

Ele estima que, hoje, mais de 1 mil motoristas estejam cadastrados no aplicativo Uber em Campo Grande. “Cada um deles atende uma média de 30 a 40 chamadas por dia. A procura é muito grande. Caso haja essa limitação, iremos para as ruas fazer protestos e procurar a derrubada desse decreto em todas as esferas”, disse.

Uber começou a operar em setembro do ano passado, disputando espaço com taxistas. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo)
Uber começou a operar em setembro do ano passado, disputando espaço com taxistas. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo)

O texto do decreto que regulamenta o serviço no município está em fase de elaboração na Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e deve ser publicado na próxima sexta-feira (24). O presidente da Applic disse que ainda nesta semana deve ocorrer uma reunião com o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno.

Na pauta, um debate sobre o texto final do decreto, o que inclui outras exigências dos motoristas, como isenção e redução de tributos, taxa mínima para vistoria veicular e descontos na aquisição de veículos novos, por exemplo. A assessoria de imprensa da Prefeitura não confirmou a agenda.

Polêmica – O serviço do transporte remunerado de passageiros em veículos particulares, acionados por aplicativos começou a operar em Campo Grande em setembro de 2016 e, desde então, vem gerando polêmicas, principalmente com os taxistas, devido à falta de regulamentação.

Antes mesmo do início da operação na cidade, um projeto de lei para proibir a atividade tramitava na Câmara Municipal e outro chegou a ser aprovado na Assembleia Legislativa, mas foi vetado pelo Governo Estadual.

No Brasil, a atividade foi regulamentada em Vitória (ES), Brasília (DF) e Porto Alegre (RS), por meio de projetos de lei aprovados pelo Poder Legislativo e sancionados pelo Executivo, e em São Paulo (SP), por meio de decreto municipal.

O próprio Uber, por enquanto, assiste a tudo calado. Já sabe que o cenário em Campo Grande é diferente do verificado no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e várias outras cidades, onde leis que proibiam o serviço foram derrubadas na Justiça, mas não se posiciona oficialmente, até o momento, sobre uma eventual disputa judicial por aqui.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário