A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

04/04/2014 09:10

Polícia investiga se empresário foi vítima de novo tipo de sequestro

Edivaldo Bitencourt e Graziela Rezende
Maria de Lourdes Cano, da Defurv, comandas as investigações sobre o sumiço do empresário (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)Maria de Lourdes Cano, da Defurv, comandas as investigações sobre o sumiço do empresário (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)

A Polícia Civil suspeita que o empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, 32 anos, desaparecido desde a tarde de terça-feira (1º), pode ter sido vítima de uma nova modalidade de sequestro. Casos semelhantes já foram registrados em São Paulo e Brasília (DF).

Conforme um policial da Defurv (Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos), uma das hipóteses é de sequestro. Os bandidos estariam agindo de forma diferente: eles pegam a vítima, esperam a “poeira abaixar” e depois fazem o pedido de resgate.

Desde de quarta-feira, o movimento é intenso na delegacia e dois homens chegaram a ser ouvidos como suspeitos, mas foram liberados. Outras cinco testemunhas também foram ouvidas.

No entanto, o mistério sobre o paradeiro do comerciante intriga os agentes da Polícia Civil. A principal é que o carro Golf prata, 2009/10, placa HTJ 7457, de Erlon, não foi localizado.Também não há pistas de que o veículo foi levado para o Paraguai. O sistema de segurança pública tem um monitoramento de carros que passam nas rodovias de acesso ao Paraguai que não registrou o carro.

Os investigadores suspeitam que Erlon foi a segunda vítima desta modalidade na Capital. Um outro homem, que também anunciou veículo no site bomnegócio.com, teve o encontro marcado para mostrar o carro no Parque dos Poderes, mas desconfiou do suposto comprador e acabou desistindo do encontro.

Erlon sumiu após marcar o encontro a partir do site de vendas pela internet na Avenida Interlagos, perto da rotatória da Coca-Coca, na saída para São Paulo.

A Polícia chegou até a usar um avião para sobrevoar a Capital em buscas de pistas do empresário e do carro na quarta-feira.

Familiares e amigos também rastreiam bairros e lugares da zona rural para tentar localizar Erlon.

Ontem, o pai do comerciante, Lino Bernal, 57, afirmou que a família está desesperada e “dilacerada” com a falta de notícias do filho.



Dra. Delegada Maria de Lourdes Cano, não seria possível realizar o rastreamento do celular da vítima nos moldes daquele realizado em São Paulo no ano de 2010, para desvendar o assassinato do cartunista Glauco? O rastreamento foi realizado através do sinal que o celular recebia das torres de telefonia da região, não é possível verificar a localização exata, no entanto, é possível se verificar em qual região o celular está ou esteve e horários.

 
Alexandre Macht Mastela em 04/04/2014 14:26:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions