A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/10/2012 12:16

Polícia vai pedir prisão de jovem que atirou por dívida de R$ 3 mil

O pedido será por dupla tentativa de homicídio, já que em menos de dois meses, Wellington de Oliveira Martins tentou matar outro vizinho

Paula Maciulevicius e Viviane Oliveira
Delegado responsável pelo caso, Weber Luciano Medeiros, pediu também exame de balística para comprovar se foi usada a mesma arma nos dois crimes. (Foto: Rodrigo Pazinato)Delegado responsável pelo caso, Weber Luciano Medeiros, pediu também exame de balística para comprovar se foi usada a mesma arma nos dois crimes. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A Polícia Civil vai pedir a prisão por dupla tentativa de homicídio, do suspeito de atirar por uma dívida de R$ 3 mil, Wellington de Oliveira Martins, 22 anos, também atirou contra um vizinho, no início de setembro. Os crimes aconteceram no bairro onde autor e vítimas moram, no Vida Nova, em Campo Grande. A Polícia quer descobrir agora se nos dois disparos, Wellington usou a mesma arma.

Hoje o Campo Grande News foi até o bairro Vida Nova. Na região, Wellington é conhecido como pessoa de pavio curto, apelido justificado principalmente pelos últimos dois meses, quando desavenças que nem eram com ele, terminaram em pessoas baleadas.

Segundo a Polícia o primeiro crime aconteceu no dia 2 de setembro, quando ele atirou contra o vizinho, João Cristino Canteiro, 32 anos, durante uma briga entre o amigo de João e o tio de Wellington, que tem problemas mentais.

Já o segundo, foi neste sábado, depois que Everton Alves Martins, 23 anos, foi cobrar a dívida de R$ 3 mil da venda de um Chevette para o irmão de Wellington, que deveria ter sido paga há quatro meses.

O delegado responsável pelos dois casos, Weber Luciano Medeiros, explica que assim que Wellington baleou a primeira vítima, João Cristino, ele se apresentou alegando que havia atirado porque o jovem empurrou e derrubou o tio no chão, que sofre de deficiência mental.

Quanto à arma usada no crime, ele disse à Polícia que havia perdido durante a fuga do local, de moto. Na época ele prestou depoimento e foi liberado porque não havia mais o flagrante.

Pouco mais de um mês depois, Wellington voltou a se envolver em confusões no bairro. A dívida do carro na verdade era do irmão dele, que depois de ser cobrada, terminou com o antigo dono do Chevette, Everton, baleado.

Na família de João Cristino, a confusão e os disparos foram até surpresa. Segundo relatos da própria vítima a briga não havia sido com ele e sim com um amigo que tem o apelido de Dedé e namora a prima de Wellington.

Primeira vítima, João Cristino, conta que foi apenas conversar com Wellington e que a desavença não tinha sido com ele e sim um amigo. (Foto: Rodrigo Pazinato)Primeira vítima, João Cristino, conta que foi apenas conversar com Wellington e que a desavença não tinha sido com ele e sim um amigo. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Na versão de João, no dia da briga eles estavam em um campo de futebol, quando o tio de Wellington que tem ciúmes da sobrinha, começou a discutir. Durante a briga, houve uma confusão e todos acabaram indo embora.

Pelo histórico de Wellington, a família de Dedé escondeu o rapaz e quem foi conversar na tentativa de amenizar, foi João Cristino. A conversa terminou com o rapaz baleado com três tiros. O pai da vítima, Henrique Canteiro, 66 anos, relembra que no dia a confusão foi tão grande que ele tentou tirar a arma da mão de Wellington. “A intenção dele era de matar o meu filho, ele apontou a arma para matar o João”, reforça.

A irmã de João Cristino, Roseli Canteiro Xavier, 38 anos, chega a falar do medo de entrar e sair de casa. "Ele está solto aí, em menos de dois meses atirou em outra pessoa. É justo a gente viver com medo e o bandido solto?”, pergunta.

A Polícia vai fazer o exame balístico dos dois crimes e confrontar se nas duas tentativas de homicídio foi usada a mesma arma. No primeiro depoimento, Wellington alegou que havia perdido o revólver durante a fuga.

Rapaz que levou tiro ao cobrar dívida de R$ 3 mil teve alta e passa bem
Everton Alves Martins, 23 anos, que levou dois tiros no último sábado, depois de cobrar uma dívida de R$ 3 mil, no bairro Vida Nova, em Campo Grande,...
Rapaz atingido por dois tiros foi cobrar dívida de R$ 3 mil
Everton Alves Martins, 23 anos, que levou dois tiros neste sábado, foi cobrar uma dívida no valor de R$ 3 mil. De acordo com a mãe dele, Damiana Alve...
Após cobrar dívida, jovem é atingido por dois tiros no Vida Nova
Everton Alves Martins, 23 anos, foi atingido com dois tiros neste sábado, enquanto estava na varanda de casa, no bairro Vida Nova, em Campo Grande. S...
Homem de 32 anos é baleado em discussão entre vizinhos no Vida Nova
João Cristino Canteiro, 32 anos, foi baleado neste domingo durante uma confusão entre vizinhos no bairro Vida Nova, em Campo Grande. Segundo a Políci...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions