A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/05/2013 20:11

Em bilhetes, Maníaco da Cruz prega "fim dos cristãos" e outro homicídio

Gabriel Neris
Jovem conhecido como Maníaco da Cruz foi preso no Paraguai e entregue ao Brasil (Foto: Divulgação)Jovem conhecido como Maníaco da Cruz foi preso no Paraguai e entregue ao Brasil (Foto: Divulgação)

Dionathan Celestrino, de 21 anos, que ficou conhecido como “Maníaco da Cruz”, deixou na pensão em que estava hospedado algumas páginas escritas a mão. O material foi publicado pelo site de notícias da rádio Amambay, do Paraguai. Alguns textos deixam a impressão que o jovem estaria perto de cometer outro assassinato. Nos manuscritos, ele também prega "o fim dos cristãos".

Conforme as publicações, Dionathan também havia escrito novas mensagens com ordens que deveria cumprir.

A proprietária da pensão contou que nunca pensou que o rapaz fosse perigoso. Ela diz que Dionathan era um bom rapaz, andava calado e quase não saia do quarto. Segundo a proprietária, o jovem ainda estava tentando aprender a língua local.

A mulher contou ainda que o pagamento para que Dionathan permanecesse na pensão era feito antecipadamente. Ele recebia a visita de duas mulheres. A suspeita é que se trata da mãe e da tia do rapaz. A proprietária da pensão disse que o jovem foi preso com cerca de dois milhões de Guarani.

A Polícia brasileira não recebeu os escritos do rapaz. Ontem, o Maníaco da Cruz foi transferido de Ponta Porã para a 7ª Delegacia de Polícia em Campo Grande. Ele deve realizar exames na manhã desta quinta-feira.

Mortes - O primeiro a morrer foi o pedreiro Catalino Gardena, que era alcoólatra. O crime foi em 2 de julho de 2008. A segunda vítima foi a frentista homossexual Letícia Neves de Oliveira, encontrada morta em um túmulo de cemitério, no dia 24 de agosto.

A terceira e última vítima foi Gleice Kelly da Silva, de 13 anos, encontrada morta seminua em uma obra, no dia 3 de outubro. Dionathan foi apreendido no dia 9 de outubro, seis dias após o último assassinato.

(matéria editada para alterações às 8h26 de quinta-feira, 02 de maio)



Muito bem escolhido esse departamento da polícia hein! Com uma escola logo ao lado, onde passam muitos estudantes todos os dias, além de tudo em bairro residencial. Só espero que não deixem ele escapar como da última vez.
 
Lana Isabelle Silva em 02/05/2013 20:52:35
Por que ele não prega o fim de pessoas como ele,frio calculista, pertubado etc!!!! coloca eesse pilantra pra bater concreto o dia inteiro, talvez assim não tem tempo de pensar abobrinha!!!!! quer se aparecer vai pro circo!!!!!!!
 
CRIS. ALVES em 02/05/2013 10:20:36
Gabriel Neris, em uma matéria como esta, é muito importante trazer este tipo de informação: "dois milhões de guaranis, o equivalente a aproximadamente um mil reais". Fica a dica.
 
Anita Ramos em 02/05/2013 09:05:40
Se a mãe e a tia estava visitando o mesmo e sabendo que era procurado da justiça, elas devem ser presas por "facilitar e encobrir fuga, além de de não comunicação as autoridades"! O Brasil vive essa onda de crimes pois os próprios familiares os acolhe, onde os mesmos é quem deveriam ajudar a punir aquilo que não quer que se ocorra com a sua familia! Em todos os países desenvolvidos, parentes que ocultam informações ou ajuda familiar criminoso é punido tambem! Nosso país não se pune os criminosos e nem aqueles que os ajudam, é uma VERGONHA! ACORDA POVÃO!!!
 
Alexandre de Souza em 01/05/2013 21:21:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions