A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

01/08/2016 12:43

Governo lança campanha para combater feminicídio e violência à mulher

Atividades serão de conscientização para sociedade civil

Leonardo Rocha
Reinaldo lançou campanha com a participação de autoridades e especialistas no setor (Foto: Fernando Antunes)Reinaldo lançou campanha com a participação de autoridades e especialistas no setor (Foto: Fernando Antunes)
Subsecretária Luciana Azambuja diz que campanha terá uma série de projetos e atividades (Foto: Fernando Antunes)Subsecretária Luciana Azambuja diz que campanha terá uma série de projetos e atividades (Foto: Fernando Antunes)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) lançou nesta segunda-feira (01), a campanha "Agosto Lilás", que visa conscientizar a sociedade, contra a violência à mulher, em Mato Grosso do Sul. Haverá uma série de atividades em escolas, feiras, locais públicos e até com as autoridades policiais, para divulgar a Lei Maria da Penha e os direitos das mulheres.

A intenção é diminuir o número destes crimes no Estado, que ainda tem um índice alto em relação a média nacional. De acordo com a subsecretária de Políticas para as Mulheres, Luciana Azambuja, neste ano já foram contabilizados 17 casos de feminicídio e 24 tentativas de assassinato no Estado.

"O balanço completo será divulgado no dia 8 de agosto, o que posso adiantar é que em todos os casos os autores foram identificados", disse ela.

O governador disse que é preciso levar conscientização sobre o tema, pois apesar da Lei Maria da Penha completar 10 anos, sendo um marco na sociedade, ainda se precisa avançar muito neste caminho.

"Uma violência que deve ser combatida por todos nós, estamos estudando ampliar as delegacias de proteção às mulheres e ações para reverter este quadro".

Reinaldo espera que esta campanha possa trazer resultados, já que segundo ele, o assunto precisa ser uma "causa coletiva", com o engajamento não apenas do poder público, mas de toda sociedade civil.

Campanha - A superintendente explicou que campanha vai ocorrer durante todo o mês, tendo várias atividades e programas. Entre eles o que leva a discussão e debate da Lei Maria da Penha para 20 escolas, em 30 turnos, com a expectativa de atingir 5 mil estudantes.

Outro projeto distribui cds para mulheres deficientes visuais e dvds aos (deficientes) auditivos, explicando todos os direitos e como agir em caso de violência. Ainda será publicada uma cartilha na língua guarani e terena, para ser entregue às mulheres indígenas. "A intenção é que todos tenham acesso a este material e possam se conscientizar sobre seus direitos", disse Luciana.

Também haverá blitze educativas promovidas pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) e Polícia Militar nas vias públicas, assim como atividades em feiras livres, pontos de ônibus, praças e locais públicos para levar esta informação à população. "Nas redes sociais haverá um post por dia sobre a campanha, que queremos compartilhar".

Encontro - A Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) vai promover um encontro com a participação de 11 municípios, que possuem delegacias de atendimento a mulher, para orientação de policiais civis e militares, assim como bombeiros.

No segundo momento, a capacitação será com os delegados, escrivães e investigadores de Campo Grande, que trabalham na DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Depac (Del de Pronto Atendimento Comunitário) e outros órgãos de segurança.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions