A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/06/2013 15:58

Índios ateam fogo em casa da fazenda Cambará em mais um dia tenso

Nadyenka Castro e Aliny Mary Dias
Fazenda Cambará. Casa ficou parcialmente destruída pelo fogo. (Foto: Marcos Ermínio)Fazenda Cambará. Casa ficou parcialmente destruída pelo fogo. (Foto: Marcos Ermínio)
Cacique Basílio Jorge fala sobre a invasão na fazenda Cambará. (Foto: Marcos Ermínio)Cacique Basílio Jorge fala sobre a invasão na fazenda Cambará. (Foto: Marcos Ermínio)

Os cerca de 300 índios terena que invadiram a fazenda Cambará, vizinha a Buriti, em Sidrolândia, a 71 quilômetros de Campo Grande, na tarde desse domingo, já incendiaram uma das casas, destelharam a maior e prometem não sair da área. “A fala do nosso povo é de que não vamos sair daqui”, afirma o cacique da aldeia Lagoinha, Basílio Jorge.

De acordo com a liderança indígena, os índios da aldeia dele e da Água Azul tentam entrar na propriedade desde 8 de maio, data em que ficaram apenas na porteira. No dia 14, eles ‘se mudaram’ para uma aérea a apenas 800 metros da sede e, nesse domingo, invadiram. No momento havia três funcionários no local.

O cacique fala que não houve violência, mas teve discussão, que a invasão é por mais terra para os “guerreiros” e também por conta da morte de Oziel Gabriel, 35 anos, durante conflito na Buriti, no dia 30.

“Nós precisamos de espaço”, fala Basílio, explicando que na aldeia Lagoinha vivem 378 índios em 2,9 hectares. A fazenda Cambará tem 1,3 mil hectares. Na região há 33 propriedades rurais invadidas.

O cacique lembra ainda que a morte de Oziel “contribuiu para a permanência” deles na fazenda. “A gente tá aqui pelo nosso guerreiro terena. Temos que fazer valer a morte dele”, No entanto, ele diz que a situação deles depende de decisão a ser tomada por ele e mais 10 índios que representam toda a aldeia.

Nesta segunda-feira, dois caminhões foram retirar o gado da fazenda. Indígenas ajudam a colocar os animais nos veículos.

Conflito- Vizinha à Cambará, a fazenda Buriti foi invadida no dia 14 de maio. No dia 30, após decisão de reintegração de posse, houve conflito entre policiais e índios. Oziel Gabriel morreu. Ficaram feridos cinco indígenas e oito policiais.

Os índios não saíram de lá. Nesse domingo, nova decisão da Justiça Federal determina a saída deles em 48 horas. Nesta segunda-feira, Oziel foi enterrado e houve confusão com a imprensa após o sepultamento.




Essa falacias de agressão em palavras, não resolvem, aos que aqui propõe "soluções", j que o faça, aja, não fale. Vai lá.... dúvido vá...
 
Carlos Lamarca em 04/06/2013 12:24:10
Invadir, destruir pode né?!!! Cambada de vagabundos!!!!!
Certo estava Rondon que dava sopa prá gente dessa laia. Era uma sopinha só e batiam a caçuleta.
Chega de arruaceiros fantasiados de índios. Os índios Terena de verdade são cordiais, amigos, trabalhadores e honestos.
Essa cambada que põe fogo em propriedade alheia é tudo arruaceiro sem eira nem beira, querem ver o circo pegar fogo.
Enquanto isso os governos continuam pusilânimes e os proprietários rurais literalmente tomando ferro.
 
Rubens Ferreira da Silva em 04/06/2013 12:14:22
Eles estão se achando impuni graças ao estado que fica passando a mão na cabeça deles. Se não der um jeito logo vai virar um caos. E quem perde com isso é o próprio estado.
 
Caroline Silva em 04/06/2013 12:03:30
Quem pagará as contas desses prejuízos aos proprietários dessas fazendas? Será que o governo que nós temos nesse país tem sensibilidade do caos que estamos vivendo com essa onda de invasão, mortes e desordens? Até quando irão continuar essa selvageria? Do jeito que estão se encaminhando os acontecimentos, provavelmente haverá mais violência e mortes! E a vergonha internacional à respeito dessa falta de governabilidade que temos em nosso país! Isso é assunto para intervenção da ONU, se for o caso, mas precisamos de solução imediata, pois pelo contrário os resultados vindouros serão muito piores dos até então presenciando!
 
Olices Trelha em 04/06/2013 09:09:39
No Brasil os índios formam uma casta de privilegiados que não são alcançados pela lei. É inadmissível que tal situação perdure, haja vista os últimos acontecimentos. Índio precisa o que qualquer cidadão brasileiro precisa, as garantias constitucionais: saúde, educação, emprego, direito à manifestação, mas também tem que ser responsabilizado por seus atos. No Mato Grosso do Sul, em particular, não existe índio aculturado, eles tem acesso à educação e muitos deles são formados, são professores, administradores, filósofos, sociólogos. Não discuto as suas revindicações, mas que hajam dentro da lei, como devem se conduzir todos os cidadãos brasileiros.
 
Neuza Buss em 04/06/2013 08:28:44
Engraçado, tantos defendendo um passado tão distante, como se os fazendeiros de hoje tivessem alguma culpa sobre as barbáries cometidas a séculos atrás. Queria ver a fala dessas mesmas pessoas se fosse a casa e o trabalho delas que estivessem sendo "ocupados" por alguém que diz ter direito por seu antepassado de 20 gerações ter estado ali antes.
 
Sérgio Arantes em 03/06/2013 21:23:49
penso que o governo tem que pagar, para os fazendeiros, ate mesmo o dobro do que vale, porque tem muitos danos nisso tudo..

 
isabel morinigo da silveira em 03/06/2013 18:49:20
engraçado q eles só querem terras ferteis e bem produtivas,o tanto de terras improdutivas,arenosas etc..por que nao coloca tudo la,ai vamos ver se eles querem ficar!!
 
Gleidson de Souza em 03/06/2013 17:48:41
Há uma estupidez constante quando o assunto são os indígenas: os mesmos ocupavam a terra antes dos diversos planos oficiais, do império e governos, para ocupação das terras brasileiras. Oficialmente, a ocupação aconteceu com incentivo total e irrestrito, em diversas fases. Os índios, na época, não lutaram para ficar nos lugares, apenas se mudavam, até não haver mais para onde ir. Isso explica os espaços destinados aos índios serem tão limitados e todas as fazendas questionadas estarem rigidamente documentadas. Além disso, o Brasil tem uma herança terrível de Portugal, de ver índios com seres exóticos, distantes do direito ao convívio em sociedade. Portanto, penso que há não invasores, o Brasil e dos brasileiros e os índios deveriam ter sido inseridos na sociedade há muito tempo.
 
Fabiano Silva em 03/06/2013 17:21:12
FOGO NELES QUERO VER ELES FICAR, BALA NELEEEEEEEEE
 
humberto jorge em 03/06/2013 17:10:31
Que absurdo o que esses índios estão fazendo invadindo terras e incendiando casas, se isso vira moda sem terra e outros protestantes vão começar a banalizar dessa maneira!!! Querem chamar a atenção é só irem para Brasilia e acaparem lá até conseguirem o que querem, mas não destruírem a propriedade alheia assim.
 
Eliane Silva em 03/06/2013 17:07:10
E desde quando os Índios são do PY? Santa ignorancia que ainda reina!! Eles perderam a razão quando partiram pra violência, mas tem sim direito sobre toda a terra que pisamos. Nós é quem somos os invasores!!!
 
Léia Campos em 03/06/2013 16:51:26
Por que queimar uma propriedade que não te pertence. Que voce nao construtiu, nao trabalhou...barbaridade....indios voltem para o paraguay
 
Aloisio Silveira em 03/06/2013 16:32:24
Acho que o governo tem que parar de passar a mao na cabeça deles isso sim.Eles nao tem o direito de sai invadindo e destruindo as coisas das pessoas.Eles pedem terra o governo da e eles morrem de fome.pq nao planta na terra entao.Acho que todos os povos de bem trabalha para adaquirir algo e nao precisamos sai destruindo, invadindo nada.As coisas nao é bem por ai nao.Tem que rever os direitos e deveres deles.
 
susan k. mendes em 03/06/2013 16:30:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions