A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Abril de 2018

25/11/2017 13:28

Justiça Federal decide manter presa quadrilha da Operação Ouro de Ofir

Conforme decisão da 3ª Vara Federal, a manutenção dos custodiados se revela como necessária à garantia da ordem pública

Viviane Oliveira e Mirian Machado
Policiais federais durante a operação que foi deflagrada na terça-feira (21) (Foto: Liniker Ribeiro) Policiais federais durante a operação que foi deflagrada na terça-feira (21) (Foto: Liniker Ribeiro)

A Justiça Federal converteu neste sábado (25) em preventiva a prisão dos quatro envolvidos na Operação Ouro de Ofir, deflagrada pela Polícia Federal e Receita Federal, na última terça-feira (21), em Campo Grande, Terenos, Brasília (DF) e Goiânia (GO). Os presos são Celso Eder Gonzaga de Araújo, Sidinei dos Anjos Peró, Anderson Flores de Araújo e Ricardo Machado Neves (este último continua foragido).

Conforme a decisão do juiz substituto da 3ª Vara Federal, Rodrigo Boaventura Martins, a manutenção dos custodiados se revela como necessária à garantia da ordem pública, notadamente porque uma vez soltos, estarão pondo em risco a coletividade de pessoas que têm sido alvo do golpe. “Decretei a prisão preventiva dos quatro. Eles não serão soltos amanhã. Estão presos por tempo indeterminado”, diz. A prisão temporária dos suspeitos venceria neste domingo (26). 

As medidas foram decretadas em decorrência das investigações e análises realizadas após a operação. A quadrilha ludibriava milhares de investidores em todo País, oferecendo promessas de retorno milionário em troca de aportes antecipados de recursos. Os envolvidos permanecerão presos sem prazo definido.

Grupos ligados às operações financeiras Ametal e Sap têm utilizando as redes sociais para continuar enganando as vítimas. Existem mensagens e vídeos circulando em grupos sociais induzindo os “investidores” a não procurar a Polícia Federal.

Conforme a PF, essas condutas estão sendo investigadas e aqueles que estiverem agindo de forma ilícita poderão responder por crimes, inclusive com a solicitação de novas medidas de prisão temporária ou preventiva. O nome da operação Ouro de Ofir faz alusão a uma cidade mitológica, que produzia outro de qualidade e beleza. Detalhe é que a cidade nunca foi localizada e muito menos o metal precioso.

Formulário - A investigação criou um formulário, que deve ser acessado pelo site www.pf.gov.br, para atender às vítimas do golpe. A PF estima que Celso Éder e a rede de golpistas ligadas a ele tenham feito ao menos 25 mil vítimas em todo o Brasil. 

Veja como fazerBaixe o formulário para denúncia aquiO formulário preenchido e com firma reconhecida deverá ser entregue na superintendência regional da PF, que fica na Rua Fernando Luiz Fernandes, nº 322, Vila Sobrinho, Campo Grande/MS, CEP 79.110-503 – no plantão, aos cuidados do delegado Guilherme Farias. Os denunciantes que estão fora da cidade de deverão proceder da mesma forma, no entanto, postando o formulário preenchido e com firma reconhecida em cartório pelos Correios para o endereço acima, aos cuidados do delegado já citado.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions