A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

23/08/2018 11:18

MS não registra morte, mas casos confirmados de zyka sobem 200% em 2018

Mesmo período em 2017, 365 casos haviam sido comunicados e 15 confirmados, sendo uma gestante

Danielle Valentim
Sintomas da Zika incluem febre baixa, dor nos músculos e articulações, além de vermelhidão nos olhos e manchas vermelhas na pele. (Foto: Internet/Reprodução)Sintomas da Zika incluem febre baixa, dor nos músculos e articulações, além de vermelhidão nos olhos e manchas vermelhas na pele. (Foto: Internet/Reprodução)

O boletim epidemiológico semanal da SES (Secretária Estadual de Saúde), divulgado nesta quarta-feira (22), aponta que de janeiro até ontem, quarta-feira (22), Mato Grosso do Sul notificou 191 casos de zyka e confirmou 42. O número de resultados positivos é 200% maior, que o mesmo período em 2017, quando 365 casos haviam sido comunicados e 15 confirmados, sendo uma gestante.

A reportagem do Campo Grande News comparou o levantamento de casos de dengue da 34ª semana de 2017, que seguiu de janeiro a 30 de agosto, com dados do início do ano até ontem, 22 de agosto.

A Febre do vírus Zika é uma doença causada por um vírus do gênero Flavivirus, família Flaviviridae, transmitida, principalmente, pelos mosquitos Ae. aegypti e Ae. albopictus. A circulação do vírus no Brasil foi confirmada laboratorialmente em abril de 2015, em amostras de pacientes do município de Camaçari, Bahia.

No entanto, após 18 meses do primeiro caso no país, o Ministério da Saúde declarou em maio de 2017, o fim da ESPIN (Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional) em decorrência do vírus Zika vírus e sua associação com a microcefalia e outras alterações neurológicas.
Na época, em Mato Grosso do Sul, foram confirmados 343 casos, sendo o primeiro em janeiro de 2016.

Fim da emergência - Durante o anúncio, o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Adeílson Cavalcante, ressaltou que o enfrentamento ao Aedes aegypti será mantido em todos os níveis de vigiância.

“O fim da emergência não significa o fim da vigilância ou da assistência. O Ministério da Saúde e os outros órgãos envolvidos no tema irão manter a política de combate ao Zika, dengue e chikungunya, assim como os estados e municípios”.

Em nível nacional, foram 7.911 casos de Zika em todo o país até 15 de abril deste ano, registrando queda de 95,3% em relação a 2016, quando foram 170.535 notificações. Os dados da microcefalia também apresentaram redução importante a cada semana desde maio do ano anterior. Casos mensais se mantiveram em 2% desde janeiro de 2017.

Tabelas de casos 2017.Tabelas de casos 2017.
Tabela de casos 2018.Tabela de casos 2018.
Saúde anuncia fim do estado de emergência para zika; MS teve 343 casos
Após 18 meses do primeiro caso no país, o Ministério da Saúde declarou nesta quinta-feira (11) o fim da ESPIN (Emergência em Saúde Pública de Importâ...
Ministério abre consulta sobre Plano Nacional de Segurança Pública
O Ministério da Segurança Pública lançou hoje (19) uma consulta pública sobre o plano nacional do setor. O documento, intitulado Plano Nacional de Se...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions